GRUPO DE PESQUISA EM ARTE, DESIGN E MÍDIAS DIGITAIS

imagens.jpg
 

GP_ADMD

O Grupo de Pesquisa em Arte, Design e Mídias Digitais, vinculado ao Departamento de Artes Plásticas da ECA/USP, nasce da perspectiva de investigar questões concernentes às relações entre arte e design no contexto das mídias digitais.


Dois focos de análise sustentam as atividades do grupo. Por um lado, consideradas as especificidades históricas, teóricas, processuais e de finalidade das áreas investigadas, o GP_ADMD pretende discutir o que epistemologicamente sustenta os vínculos e as distensões entre elas. Por outro, dada à emergência das mídias digitais, procura apreender como esses novos meios influenciam e condicionam os modos de criação e recepção de mensagens desenvolvidas nos contextos da arte e do design.


O caminho trilhado pelo grupo pressupõe como alimento de trabalho a busca por estudar a intrínseca relação entre o fazer e o pensar.

 
 

PROJETOS DESENVOLVIDOS

PESQUISA


2021 - Atual

AS INTER-RELAÇÕES ENTRE CRIAÇÃO E RECEPÇÃO DE ARTEFATOS COMPUTACIONAIS GENERATIVOS REPRESENTADOS EM IMPRESSÃO 3D (projeto vinculado a Bolsa PQ 2 / CNPq - em desenvolvimento)

Em continuidade a investigações anteriores, esta pesquisa tem como objetivo geral investigar as inter-relações entre criação e recepção inerentes aos artefatos de arte e design gerados a partir da simulação e da fabricação digitais, mais especificamente, aos trabalhos produzidos por sistemas computacionais generativos e pela impressão 3D. Estes artefatos são considerados como o nosso universo de estudo. O problema de pesquisa busca responder às seguintes questões: Como o desenho da informação, sustentado nas noções de objectile e de plasticidade da forma, modula os processos de recepção de artefatos de arte e design decorrentes de sistemas computacionais generativos e da impressão 3D? Há efetiva mudança nos papéis ocupados pelo criador e pelo receptor nos processos comunicacionais que dão base à produção e à fabricação de artefatos decorrentes dos sistemas computacionais generativos e da impressão 3D? Considerando a dinâmica entre liberdade e controle própria aos objectiles, há de fato uma tendência à democratização dos processos de produção e fabricação dos artefatos caracterizados no nosso universo de estudo? Pretende-se, portanto, apreender como as estratégias de recepção próprias aos objectiles podem vir a modular (ou não) as formas de fruição e o uso dos trabalhos em estudo. Portanto, é por demais importante flagrar as posições ocupadas pelos elementos do sistema produção/arte-design/recepção nos processos comunicacionais em estudo. Sendo uma investigação de cunho transdisciplinar, esta pesquisa envolve, diretamente, as áreas das artes e do design digitais, da tecnociência, da comunicação, e, indiretamente, circunscreve conhecimentos das ciências puras e aplicadas que alimentam a utilização dos sistemas computacionais generativos e da impressão 3D. Esta investigação concorre para a necessária articulação entre prática e teoria, reiterando as relações transdisciplinares tão necessárias, tanto no que tange às áreas da arte, do design e da comunicação, quanto no tocante às especialidades da arte - escultura, desenho, cerâmica, multimídia, intermídia. E também, não menos importante, entre as artes e as ciências e, ainda, entre as ciências puras e as ciências aplicadas.

2016-2021

ARTE E DESIGN NOS ÂMBITOS DA SIMULAÇÃO E DA FABRICAÇÃO DIGITAIS (projeto vinculado a Bolsa PQ 2 / CNPq)

Esta pesquisa teve como objetivo final investigar como a simulação e a fabricação digitais condicionam os processos de concepção e produção nos universos da arte e do design. Pretendeu examinar como o conjunto dessas tecnologias permite o aparecimento de práticas transdisciplinares, dadas nas relações entre o artesanal e o digital, consequentemente, possibilitando ampliar o entendimento das fronteiras entre arte e design. Mais especificamente, procurou identificar como a simulação e a fabricação digitais condicionam novas formas de reprodutibilidade, autoria e customização em massa. Quanto aos fins, a pesquisa teve caráter exploratório, descritivo e explicativo. Quanto aos meios, as técnicas de investigação aplicadas foram as seguintes: a) pesquisa bibliográfica; b) seleção e análise da amostra do objeto de estudo; c) pesquisa experimental; d) entrevistas semi-estruturadas a serem realizadas com os artistas e designers, criadores dos trabalhos selecionados no âmbito desta pesquisa; e) visitas a exposições. O objeto de investigação empírica circunscreveu os trabalhos de arte e/ou design gerados a partir da simulação e da fabricação digitais, privilegiando-se para análise trabalhos de artistas e designers constantes da exposição intitulada “Out of Hand: materializind the postdigital”, com curadoria de Ronald T. Labaco, ocorrida no Museum of Art and Design, em New York City. Quanto aos objetivos intermediários, intentou-se: a) investigar o estado da arte das pesquisas, internacionais e nacionais, que tratam da simulação e da fabricação digitais no contexto da arte e do design; b) ampliar bases teórico-práticas para o entendimento dos métodos e técnicas inerentes à simulação e fabricação digitais, com base na identificação de suas especificidades; c) analisar trabalhos de arte e design gerados pela simulação e pela fabricação digitais, no intuito de investigar os seus modos operativos e sistematizar os procedimentos neles envolvidos; d) identificar se e como as novas formas de reprodutibilidade, autoria e customização em massa podem contribuir para o entendimento da diluição de fronteiras entre arte e design; e) criar trabalhos de arte e design gerados a partir da simulação e da fabricação digitais. A relevância deste trabalho surge na medida em que nele se concebeu a simulação e a fabricação digitais como elementos influentes e sedutores na construção de objetos tridimensionais. Não só circunscrevendo o problema de estudo à análise de "novos" modos de operar, este trabalho também considerou que os efeitos e consequências que decorrem da utilização da simulação e da fabricação digitais ajudam a pensar caminhos futuros no tocante às fronteiras entre as áreas da arte e do design, visto que esses métodos mudam radicalmente a maneira como os objetos são concebidos, projetados, produzidos e consumidos. Ademais, já que se esteve a priorizar fundamentalmente o avanço do conhecimento científico e tecnológico no que concerne à área de estudo da representação gráfica digital, esta pesquisa também contribuiu para aprofundar as investigações acerca do cruzamento de fronteiras disciplinares, tanto no que tange às especialidades no contexto da arte - escultura, gravura, desenho, multimídia e intermídia -, quanto no tocante às relações transdisciplinares entre arte e design. Os principais resultados alcançados foram: a) publicação de artigos em periódicos e/ou anais de eventos; b) publicação de livros e/ou capítulos de livros; c) apresentação de trabalhos em eventos acadêmicos; d) formação e capacitação de alunos; f) produção de objetos de arte e/ou design a partir da utilização da simulação e da fabricação digitais.

Monica Tavares (Profa. Permanente. do Programa de Pós-graduação em Artes Visuais – ECA/USP)

INICIAÇÕES CIENTÍFICAS VINCULADAS AO PROJETO

A SIMULAÇÃO DIGITAL NO CONTEXTO DOS TRABALHOS DE ARTE E/OU DESIGN.

  • Rafael Domingues Coppola Siqueira (Aluno de Graduação em Artes Plásticas – ECA/USP, Bolsa do Programa Unificado de Bolsas/USP).

       2017-2018
O USO DA FABRICAÇÃO DIGITAL NA CRIAÇÃO DE OBJETOS DE ARTE E/OU DESIGN.

  • Ariedhine Carvalho (Aluno de Graduação em Artes Plásticas – ECA/USP, Bolsa do Programa Unificado de Bolsas/USP).

       2017-2018

FABRICAÇÃO DIGITAL NO ÂMBITO DAS EXPERIMENTAÇÕES ARTÍSTICAS: O ESTUDO DE CASO DO ARTISTA LEONEL MOURA.

  • Bruna Mayer Costa (Aluna de Graduação em Artes Plásticas – ECA/USP, Bolsa do Programa Unificado de Bolsas/USP).

       2016-2017

A COMPUTAÇÃO GRÁFICA NO CONTEXTO DA EXPERIMENTAÇÃO ARTÍSTICA: O CASO DA CRIAÇÃO DE AMBIENTES VIRTUAIS.

  • Ariedhine Carvalho. (Aluna de Graduação em Artes Plásticas – ECA/USP – sem bolsa).

      2016-2017

A SIMULAÇÃO E A FABRICAÇÃO DIGITAIS NO CONTEXTO DAS POÉTICAS VISUAIS: O ESTUDO DE CASO DO ARTISTA ANGELO VENOSA.

  • Rafael Domingues Coppola Siqueira (Aluno de Graduação em Artes Plásticas – ECA/USP, Bolsa do Programa Unificado de Bolsas/USP).

       2016-2017

2013-2016

PROCESSOS DE VIRTUALIZAÇÃO-ATUALIZAÇÃO NO CONTEXTO DE AMBIENTES INTERATIVOS: OS FLUXOS ENTRE IDENTIDADE-ALTERIDADE E A FORMAÇÃO DE “DUPLOS” DIGITAIS (projeto vinculado a Bolsa de Pós-doutorado no Exterior – PDE/CNPQ)

Esta pesquisa propôs como objetivo final investigar representações da estética digital, especificamente inseridas no contexto da arte e do design digitais, com vistas a identificar como a retórica procedimental fundamenta processos dialéticos de virtualização e atualização, os quais podem vir a configurar trocas constantes entre self e other e a formação de “duplos” digitais. Quanto aos fins, a pesquisa teve caráter explicativo e exploratório. Quanto aos meios, as técnicas de investigação aplicadas foram as seguintes: a) a pesquisa bibliográfica; b) o estudo de casos. O objeto de investigação empírica circunscreveu as representações da estética digital, mais especificamente os ambientes interativos. No que se refere aos objetivos intermediários, intentou-se: a) investigar como se dá histórico-culturalmente o aparecimento da chamada retórica procedimental e que transformações são a ela inerentes; b) examinar como as affordances do meio digital potencializam determinadas propriedades que asseguram as formas de mediação da retórica procedimental e como o design procedimental firma-se como uma prática cultural; c) apreender como as representações da estética digital (ao se manifestarem como "interface janela" e/ou como "interface espelho") apresentam-se prioritariamente como mapas procedimentais e computacionais que sedutora e ideologicamente induzem as ações dos indivíduos; d) identificar o que está na base das experiências de fisicalidade ampliada (corporificação) e virtualidade descorporificada (descorporificação) implicadas nas representações digitais; e) analisar diferentes categorias de ambientes interativos, nas quais o corpo firma-se como paradigma de articulação e reorganização da experiência e garante as trocas sucessivas entre self e other e a formação de "duplos" digitais. Ao investigarmos como se desenvolvem a formação de “duplos” digitais, esta pesquisa contribuiu para o entendimento do processo que assegura o fluxo entre identidade-alteridade, próprio do sujeito vazio e descentrado da cultura contemporânea. Nesta perspectiva, aprofundamos o estudo acerca de como o corpo – considerado como agente “oculto” –  firma-se como mediador das trocas dialéticas entre o “eu” e o “outro”.

Monica Tavares (Profa. Dra. do Departamento de Artes Plásticas da ECA/USP)

2010-2013

OS MODOS DE VER E A FORMAÇÃO DE IDENTIDADES NA ERA DA ESTÉTICA DIGITAL: O CASO DOS AMBIENTES VIRTUAIS INTERATIVOS (projeto vinculado a Bolsa PQ2 / CNPq e com apoio do Edital MCT/CNPq/MEC/CAPES 02/2010)

Esta pesquisa objetivou investigar as representações visuais da estética digital no intuito de identificar como as formações discursivas a elas inerentes podem conformar o comportamento dos indivíduos, possibilitando a construção de novas formas de identidade. Os objetos de estudo eleitos foram os ambientes virtuais interativos. Quanto aos objetivos intermediários, intentou-se: a) examinar como se dá histórico-culturalmente o aparecimento da chamada estética digital e que transformações são a ela inerentes; b) discriminar e organizar por similaridades de argumentação as principais referências teóricas de análise que justifiquem em que bases ideológicas podem se sustentar as estratégias de articulação entre codificação/decodificação; c) identificar os princípios que sustentam a arquitetura discursiva e os aparatos institucionais da estética digital; d) analisar representações visuais da estética digital (mais especificamente, os ambientes virtuais interativos), no intuito de discernir como suas configurações formais, seus contextos, suas retóricas e seus modos de significação reverberam as leis discursivas do ambiente tecnocultural; e) identificar modos de comportamento e formas de identidade inerentes à cultura e à estética digitais. A relevância deste trabalho surge na medida em que nele se concebe a imagem como elemento influente e sedutor na construção das identidades. Ele não só circunscreveu o problema de estudo à análise da imagem em si própria, mas também admitiu que os efeitos que dela decorrem estão vinculados às práticas sociais e aos específicos repertórios e contextos dos receptores. Ademais, a pesquisa também contribuiu para o estudo das relações entre a comunicação, as artes e o design, pois tentou de maneira interdisciplinar estudar como a saturação da informação impõe a necessidade de novas formas.

Monica Tavares (Profa. Dra. do Departamento de Artes Plásticas da ECA/USP)


INICIAÇÕES CIENTÍFICAS VINCULADAS AO PROJETO

A COMPUTAÇÃO GRÁFICA NO CONTEXTO DA EXPERIMENTAÇÃO ARTÍSTICA: O CASO DA CRIAÇÃO DE AMBIENTES VIRTUAIS INTERATIVOS

  • Alessandra Roberta Rodrigues. (Aluna da Graduação em Artes Plásticas – ECA/USP, Bolsa Iniciação Científica-Edital MCT/CNPq n.º 12/2010 – IC).

       2011-2012

  • Thamilin Aso Bergantini (Aluna da Graduação em AudioVisual – ECA/USP, Bolsa Iniciação Tecnológica).
    2010-2011

  • Katia Kaori Higa (Aluna da Graduação em Artes Plásticas – ECA/USP, Bolsa de Iniciação em Desenvolvimento Tecnológico e Inovação – PIBITI/USP);
    2010-2011

CORPORIFICAÇÃO E DESCORPORIFICAÇÃO EM AMBIENTES VIRTUAIS INTERATIVOS.

  • Loren Paneto Bergantini (Aluna da Graduação em Artes Plásticas – ECA/USP, Bolsa Iniciação Científica-Edital MCT/CNPq n.º 12/2010 – IC);
    2010-2011

A DINÂMICA DE ARTICULAÇÃO DOS FORMATOS, CONTEXTOS E SIGNIFICAÇÕES: O ESTUDO DE CASO DOS AMBIENTES VIRTUAIS INTERATIVOS. 

  • Giovanna Correa Lucci (Aluna da Graduação em Artes Plásticas – ECA/USP, Bolsa Iniciação Científica-CNPq/Pibic);
    2010-2011

  • Loren Paneto Bergantini (Aluna da Graduação em Artes Plásticas – ECA/USP, Bolsa Iniciação Científica-Edital MCT/CNPq n.º 12/2010 – IC).

       2010-2011

2007-2010

ARTE-DESIGN: A PRODUÇÃO DE SENTIDO (projeto vinculado a Bolsa PQ2/CNPQ)

Este trabalho buscou compreender a maneira como o receptor é afetado no consumo dos produtos culturais do contexto contemporâneo. A problemática em questão circunscreveu o entendimento daquilo que está implicado (implícita e explicitamente) no processo de produção de sentido inerente ao ambiente das mídias digitais. O nosso objeto de investigação circunscreveu os trabalhos de arte e design produzidos a partir do uso das mídias digitais, privilegiando-se para análise o caso específico dos desenvolvidos por dispositivos móveis. O objetivo final da pesquisa foi apreender como se desenvolvem e com base em que padrões e expectativas se conformam as experiências subjacentes à produção de sentido, inerentes aos produtos de arte e design gerados a partir das mídias digitais (especificamente os desenvolvidos com o uso de dispositivos móveis). A relevância deste projeto surge na medida em que foi possível identificar a estrutura de mediação simbólica da sociedade contemporânea, ao tempo que procurou examinar o fundamento estético da comunicação, intrínseco ao processo de compreensão hermenêutica mediado tecnologicamente. Pensar com base na aliança entre uma lógica-cultural e uma lógica-estética nos permitiu estudar, por um lado, as condições e estruturas das práticas receptivas, e por outro, detectou como as experiências se configuram frente e a partir das expectativas dos receptores. Vale, portanto, ressaltar a viabilidade e a necessidade do desenvolvimento desta pesquisa.

Monica Tavares (Profa. Dra. do Departamento de Artes Plásticas da ECA/USP)


INICIAÇÕES CIENTÍFICAS VINCULADAS AO PROJETO

A DINÂMICA DE ARTICULAÇÃO DOS FORMATOS ESTÉTICOS: O CASO DOSTRABALHOS DE ARTE E DESIGN PRODUZIDOS A PARTIR DO USO DE DISPOSITIVOS MÓVEIS.

  • Alessandra Roberta Rodrigues (Aluna da Graduação em Artes Plásticas – ECA/USP, Bolsa Iniciação Científica-CNPq/Pibic);
    2009-2010

O IDEOGRAMA NUMÉRICO E A COMPOSIÇÃO DE SITE NA WWW.

  • Monica Klasing Chen (Aluna da Graduação em Artes Plásticas – ECA/USP, Bolsa Iniciação Científica-CNPq/Pibic).
    2008-2009

AS ESPECIFICIDADES TECNOLÓGICAS DOS DISPOSITIVOS MÓVEIS.

  • Monica Klasing Chen (Aluna da Graduação em Artes Plásticas - ECA/USP, Bolsa Iniciação Científica-CNPq/Pibic).
    2007-2008

ARTE-DESIGN: UMA QUESTÃO ESTÉTICA.

  • Diego Thadeu Klinkerfus Amorim (Aluno da Graduação em Artes Plásticas - ECA/USP, Bolsa Iniciação Científica-CNPq).
    2007-2008

2006-2008

ARTE-DESIGN: FLUXOS E REFLUXOS (projeto apoiado pelo Edital 061/2005 do CNPq, referente à seleção pública de projetos nas áreas de Ciências Humanas, Sociais e Sociais Aplicadas)

Esta pesquisa teve como objetivo principal analisar como as mídias digitais aproximam ou distendem a teia de relações entre arte e design, tendo em vista uma possível definição da arte na contemporaneidade. Partiu da suposição de que as produções da arte e do design delimitam-se em função das finalidades e dos contextos inerentes tanto à produção quanto à recepção envolvidos nos processos de inserção do criativo no social. Não obstante as similaridades de base estrutural que unem arte e design, tomadas em relação ao processo comunicacional que as sustenta, ficaram claras as diferenças conceituais estabelecidas em relação às suas finalidades retóricas. Todavia, foram detectados cada vez mais presentes produtos de design que se configuram como obras de autor e trabalhos de arte produzidos e difundidos a partir do uso das novas tecnologias da comunicação. Neste sentido, esta pesquisa tratou de explorar os pontos de encontro e de distensão entre arte e design, admitindo que a dominância (ou não) do estético no desenvolvimento dos processos de (dis)simulação de mundos e imaginários possíveis é o elemento que sustenta os fluxos e refluxos entre estas áreas. Os objetos de estudo foram os trabalhos de arte e design produzidos a partir do uso das mídias digitais, privilegiando-se para análise o caso específico dos desenvolvidos por dispositivos móveis. O cerne da problemática investigada implicou, portanto, apreender como as transformações advindas com o digital podem explicar as contaminações recíprocas entre arte e design.

onica Tavares (Profa. Dra. do Departamento de Artes Plásticas da ECA/USP) e GP_ADMD

2003-2007

A LEITURA DO OBJETO DO DESIGN (projeto vinculado a Bolsa PQ2/CNPq)

Esta pesquisa teve como objetivo principal analisar o objeto de design com base na dialética entre sua produção e sua recepção - ou seja, a partir da relação entre as suas funções e os seus usos possíveis -, de modo a apreender o que está implicado no processo de leitura que direciona o usuário/intérprete a determinada ação e conseqüentemente ao atendimento de suas necessidades. Investigou, pelo pólo da produção, quais foram, historicamente, as normas vigentes (econômicas, sociais, ambientais, culturais, etc.), que constituíram e delimitaram o objeto a ser consumido, e, pelo pólo da recepção, apreendeu como as possibilidades de uso do objeto atualizam o usuário como agente determinante da leitura do objeto. Para a delimitação do estudo, elegemos três tipos de objeto - a cadeira, o cartaz e os sites de arte - vinculados a diferentes campos de atuação do design: o design de produto, o design gráfico e o webdesign.

Monica Tavares (Profa. Dra. do Departamento de Artes Plásticas da ECA/USP)

INICIAÇÕES CIENTÍFICAS VINCULADAS AO PROJETO

ARTE-DESIGN: UMA QUESTÃO POÉTICA

  • Aline Carelli Salgado Antunes (Aluna da Graduação em Artes Plásticas - ECA/USP, Bolsa de Iniciação em Desenvolvimento Tecnológico e Inovação – PIBITI/USP).

       2007-2008
OS MODOS DE CONFIGURAÇÃO DOS OBJETOS DE DESIGN E ARTE GERADOS A PARTIR DO USO DE DISPOSITIVOS MÓVEIS

  • Aline Carelli Salgado Antunes (Aluna da Graduação em Artes Plásticas - ECA/USP, Bolsa Iniciação Científica-CNPq/BR).
    2006/2007

AS VARIÁVEIS DO PROCESSO DE COMUNICAÇÃO ESTÉTICA - OS ESTUDOS DE CASO DOS SITES DE ARTE E DA CADEIRA

  • Leilyanne Ferreira Marques da Silva (Aluna da Graduação em Artes Plásticas - ECA/USP, Bolsa de Iniciação Científica-CNPq/Pibic).

       2006/2007

O PROCESSO DE COMUNICAÇÃO ESTÉTICA DO OBJETO DO DESIGN

  • Leilyanne Ferreira Marques da Silva (Aluna da Graduação em Artes Plásticas - ECA/USP, Bolsa de Iniciação Científica-CNPq/Pibic).
    2005/2006

OS MODOS DE CONFIGURAÇÃO DA CADEIRA

  • Juliana Corrêa (Aluna da Graduação em Artes Plásticas - ECA/USP, Bolsa de Iniciação Científica- FAPESP).
    2004-2005

OS MODOS DE CONFIGURAÇÃO DO CARTAZ

  • Lígia Zamaro (Aluna da Graduação em Artes Plásticas - ECA/USP, Bolsa de Iniciação Científica-CNPq).
    2004-2005

OS MODOS DE CONFIGURAÇÃO DOS SITES DE ARTE

  • Natália Wilhelm (Aluna da Graduação em Artes Plásticas - ECA/USP - ECA/USP, Bolsa de Iniciação Científica-CNPq/Pibic).
    2004-2005

ENSINO


2018-2019

O USO DA SIMULAÇÃO E DA FABRICAÇÃO DIGITAIS NO ÂMBITO DAS ARTES VISUAIS

O objetivo deste projeto foi criar condições para que o Laboratório de Modelagem e Fabricação Digitais do Departamento de Artes Plásticas da Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo (ModelaFab CAP-ECA-USP) se tornasse um espaço de desenvolvimento de atividades acadêmicas, que contemplasse o ensino, a pesquisa e a extensão, e que fosse plenamente utilizado, tanto pelos alunos quanto pelos professores do Departamento de Artes Plásticas da ECA-USP no âmbito da simulação e fabricação digitais. Neste ambiente, procurou-se relacionar as modalidades do ensinar, do investigar e do aprender, com vistas à capacitação contínua de formadores e alimentadores do conhecimento. Ademais, a introdução de alunos de graduação como bolsistas do PUB, no Projeto ora proposto, permitiu o desenvolvimento da habilidade do estudante em lidar com o conhecimento científico e garantiu a incorporação do desenvolvimento tecnológico na sua prática artística.

Monica Tavares (Profa. Dra. do Departamento de Artes Plásticas da ECA/USP)

MONITORIA NO LABORATÓRIO DE MODELAGEM E FABRICAÇÃO DIGITAIS DO DEPARTAMENTO DE ARTES PLÁSTICAS DA ESCOLA DE COMUNICAÇÕES E ARTES DA UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO (MODELAFAB CAP-ECA-USP).

  • Marcelo Velozo Yamanoi (Aluno de Graduação em Artes Plásticas – ECA/USP, Bolsa do Programa Unificado de Bolsas/USP).

       2017-2018

  • Carol Menezes Medina (AlunA de Graduação em Artes Plásticas – ECA/USP, Bolsa do Programa Unificado de Bolsas/USP).

       2017-2018

2008-2017

O USO DAS MÍDIAS DIGITAIS NO ENSINO DO DESENHO PROJETIVO E DA PERSPECTIVA DE OBJETOS PLÁSTICOS

O ensino dos sistemas de representação gráfica, no contexto dos cursos de artes visuais, procura desenvolver a capacidade de visualização tridimensional e do raciocínio espacial do aluno, no propósito de familiarizá-lo com as prerrogativas inerentes à execução de desenhos projetivos e perspectivas de objetos plásticos.

O desafio do projeto, aqui apresentado, foi apreender como as potencialidades das tecnologias digitais podem favorecer o desenvolvimento de novos procedimentos didáticos vinculados aos conteúdos de ensino das disciplinas CAP-208 (Formas de Expressão e Comunicação Artística: Desenho Geométrico), CAP-209 (Linguagem gráfica) e CAP-210 (Perspectiva e Sombras), ministradas no Departamento de Artes Plásticas da ECA/USP. Intentou-se perceber como as mídias digitais podem ajudar na produção de recursos didáticos vinculados a esse grupo de disciplinas, tomando como pressuposto a integração da habilidade do aluno em representar imagens, dada na concomitância do uso dos instrumentos convencionais de desenho e das novas ferramentas de ensino favorecidas pelas especificidades dinâmicas e interativas das tecnologias digitais. No que tange aos resultados esperados, pretendeu-se finalizar a produção dos recursos didáticos relacionados aos conteúdos da disciplina CAP-210 e disponibilizar o material produzido em site. Objetivou-se também a apresentação da pesquisa em eventos acadêmicos e a sua publicação em anais e/ou revistas.

Monica Tavares (Profa. Dra. do Departamento de Artes Plásticas da ECA/USP)

INICIAÇÕES CIENTÍFICAS VINCULADAS AO PROJETO

  • Maria Elisa de Oliveira Honorio (Aluna de Graduação em Artes Plásticas – ECA/USP, Bolsa do Programa Unificado de Bolsas/USP).

2010-2011 

  • Aline Lopes Oyakawa (Aluna da Graduação em Artes Plásticas – ECA/USP, Bolsa do Programa Ensinar com Pesquisa/USP).

       2016-2017

  • Giulianna Nishiyama Guilherme (Aluna da Graduação em Artes Plásticas – ECA/USP, Bolsa do Programa Ensinar com Pesquisa/USP);

       2011-2012

  • Aline Lopes Oyakawa (Aluna da Graduação em Artes Plásticas – ECA/USP, Bolsa do Projeto Ensinar com Pesquisa/USP);

       2010-2011

  • Silvia Regina Aquilas Rodrigues (Aluna da Graduação em Artes Plásticas – ECA/USP, Bolsa do Projeto Ensinar com Pesquisa/USP).

       2009-2010

  • Denis de Andrade Figueiredo (Aluno da Graduação em Artes Plásticas – ECA/USP, Bolsa do Projeto Ensinar com Pesquisa/USP).

       2008-2009

  • Olavo Costa Frade de Paula (Aluno da Graduação em Artes Plásticas – ECA/USP, Bolsa do Projeto Ensinar com Pesquisa/USP).

       2007-2008

 

DIÁLOGOS PERTINENTES

Sistemáticas reuniões são realizadas pelo grupo com a finalidade de discutir textos concernentes aos temas das pesquisas em andamento.

A relação dos textos discutidos está apresentada por ordem decrescente da realização dos “diálogos pertinentes”.

ROSE, Gillian. Visual methodologies: an introduction to researching with visual materials. 4ed. Los Angeles; London; New Delhi: SAGE Publications Ltd, 2016.


CAUQUELIN, Anne. Os incorporais no ciberespaço. In: CAUQUELIN, Anne. Frequentar os incorporais: contribuções a uma teoria da arte contemporânea. São Paulo: Martins Fontes, 2008. p. 127-196.

WILSON, Stephen.  A arte como pesquisa - A importância cultural da pesquisa científica e o desenvolvimento tecnológico. In: DOMINGUES, Diana (org.). Arte e vida no século XXI: tecnologia, ciência e criatividade. São Paulo: Ed. UNESP, 2003, p. 147-157.

HÖRD, Erich. Knowledge in the age of simulation: metatechnical reflections. In: GLEINIGER, Andrea; VRACHLIOTIS, Georg (edit.). Simulation: presentation technique and cognitive method. Basel; Boston; Berlin: Birkhäuser, 2008. p.93-105.

GRAHAM, Dan. Art as Design/Design as Art. In: COLES, Alex. Design and art. London: Whitechapel; The MIT Press, 2007. p.38-49.

FLUSSER, Vilem. About the word design. In: COLES, Alex. Design and art. London: Whitechapel; The MIT Press, 2007. p. 55-57.

DUNNE, Anthony; RABY, Fiona. Designer as author. In: DUNNE, Anthony; RABY, Fiona. Design noir: the secret life of electronic objects. London: August; Basel: Birkhäuser: 2001. p. 58-74.

KWASTEK, Katja. Aesthetics of interaction in digital art. Cambridge; Massachusetts; London; England: MIT Press, 2013.


CRARY, Jonathan. Tecniques of the observer: on vision and modernity in the nineteenth century. Cambridge: MIT Press, 1992.


FLUSSER, Vilém. O mundo codificado: por uma filosofia do design e da comunicação. São Paulo: Cosac Naify, 2007.

FLUSSER, Vilém. Habit: the true aesthetic criterion. In: FLUSSER, Vilém. Writings. Erik Eisel (trad.). Minneapolis: University of Minnesota, 2002. p. 51-57.

FLUSSER, Vilém. Criteria-Crisis-Criticism. In: FLUSSER, Vilém. Writings. Erik Eisel (trad.). Minneapolis: University of Minnesota, 2002. p.42-50.

FLUSSER, Vilém. On the theory of communication. In: FLUSSER, Vilém. Writings. Erik Eisel (trad.). Minneapolis: University of Minnesota, 2002. p.8-20.


STROHL, Andreas. Introduction.  In: FLUSSER, Vilém. Writings. Erik Eisel (trad.). Minneapolis: University of Minnesota, 2002. p.ix-xxxviii.

HUHTAMO, Erkki. Tactile Temptations: About Contemporary Art, Exhibitions, And Tactility. IN: SOMMERER, Christa; MIGNONNEAU, Laurent; KING, Dorothée. (eds.). Interfaces cultures. Artistic Aspects of Interaction. Bielefeld: Transcript Publishers, 2008. p.129-139.

CLÜVER, Claus. Inter textus / inter artes / inter media. ALETRIA: Revista de Estudos de Literatura. v.14. 2006. Disponível em: http://www.periodicos.letras.ufmg.br/index.php/aletria/article/view/1357/1454. Acesso em 24.mar.2020.


CLÜVER, Claus. Intermidialidade. PÓS: Revista do Programa de Pós-graduação em Artes da EBA/UFMG, p. 8-23, 16 jan. 2012. Disponível em: https://periodicos.ufmg.br/index.php/revistapos/article/view/15413. Acesso em 24.mar.2020.


RAJEWSKI, Irina. Intermediality, Intertextuality, and Remediation: A Literary Perspective on Intermediality. Intermédialités. Histoire et théorie des arts, des lettres et des techniques. n.6, automne 2005, p. 43-64. Disponível em:  

https://www.erudit.org/fr/revues/im/2005-n6-im1814727/1005505ar.pdf. Acesso em 24.mar.2020.


FRIEDMAN, Ken. Intermedia: four histories, three directions, two futures. In: BREDER, Hans; BUSSE, Klauss-Peter (eds). Intermedia: enacting the liminal. Norderstedt: Dortmunder, Schriften, Zur Kunst: 2005. p. 51-61.


FLUSSER, Vilém. Uma filosofia do design: a forma das coisas. Lisboa: Relógio d'Água Editores, 2010.


GIANNETTI, Claudia. Estética y contexto comunicativo. In: GIANNETTI, Claudia. Estética digital: sintopía del arte, la ciencia y la tecnología. Barcelona: L´Angelot, 2002. p. 55-109.


HEIM, Michael.  Confused about virtual reality? What it? Here’s a guide for complete beginners.                              In: HEIM, Michael. Virtual Realism. New York; Oxford: Oxford Press, 1998. p.3-32.


STERN. Nathaniel. The Implicit Body as Performance: Analyzing Interactive Art. LEONARDO, Vol. 44, No. 3, pp. 233–238, 2011.


SANTAELLA, Lucia.  Corpo e comunicação. São Paulo: Paulus, 2004.


RUTSKY, R. L. The Avant-Garde Techne ̄ and the Myth of Functional Form. In: RUTSKY, R. L. High techné: art and technology from the machine aesthetic to the posthuman. Minneapolis: University of Minnesota Press, 1999. p.73-101.

TAVARES, Monica. Os circuitos da arte digital: entre o estético e o comunicacional? ARS (USP), v. 9, p. 86-101, 2007.

MANOVICH, Lev. Database as symbolic form. In: VESNA, Victoria (ed.). Database aesthetics: art in the age of information overflow. Minnneapolis: University of Minnesota Press, 2007. p. 39-60.

PAUL, Christiane. Digital Art. 2ed. New York: Thames & Hudson, 2008.


POLD, Soren. Interface Realisms: The Interface as Aesthetic Form. Postmodern Culture, v.15, n.2, January 2005. Disponível em: https://muse.jhu.edu/article/181585.  Acesso em 24.mar.2020.


VALVERDE, Monclar. Juízo de gosto e experiência estética. In: FERRREIRA, Acylene. Leituras do mundo. Salvador: Quarteto Editora, 2006. p. 227-248.

DUVE, Thierry de. Kant depois de Duchamp. Revista do Mestrado em História da Arte EBA. UFRJ. p.125-152. 2o. sem. 1998.


COELHO NETO, José Teixeira. Arte e cultura da arte. Fórum Permanente. Simpósio “Padrões aos Pedaços”. Paço das artes, São Paulo: 2005. Disponível em:

http://www.forumpermanente.org/event_pres/simp_sem/pad-ped0/documentacao-f/conf02/teixeira_coelho_integra. Acesso em 24.mar.2020.


BERGER, René. Arte y comunicación. Barcelona: Gustavo Gili, 1976.

PAZ, Otavio. O uso e a contemplação. Revista Raiz – Cultura do Brasil. São Paulo, n. 3, p. 82-89, out. 2006. Disponível em: http://revistaraiz.uol.com.br/portal/index.php?option=com_content&task=view&id=102&Itemid=76. Acesso em: maio de 2010.

COUCHOT, Edmond. Entre o real e o virtual. In: COUCHOT, Edmond. A tecnologia na arte: da fotografia à realidade virtual. P.Alegre: Editora da UFRGS, 2003.p. 299-312.

LÉVY, Pierre. O quadrívio ontológico: a virtualização, uma transformação entre outras. In: LÉVY, Pierre. O que é o virtual? São Paulo: Ed.34, 1996. p. 135-145.

SANTOS, Laymert dos. O homem e a máquina. Imagens. Campinas. n.3, p.45-49, dez.1994.

MACHADO, Arlindo. As imagens técnicas: da fotografia à síntese numérica. Imagens. Campinas. n.3, p.8-14, dez.1994.


SANTAELLA, Lucia. Imagem pré-fotográfica-pós. Imagens. Campinas. n.3, p.31-40, dez.1994.


PLAZA, Julio. Info x foto: grafias. Imagens. Campinas. n.3, p.50-55, dez.1994.


COUCHOT, Edmond. Sujeito-nós e sujeito-eu. In: COUCHOT, Edmond. A tecnologia na arte: da fotografia à realidade virtual. P.Alegre: Editora da UFRGS, 2003. p. 11-20.

COSTA, Mario. O sublime tecnológico. São Paulo: Experimento, 1995.

TAVARES, Monica. Fundamentos estéticos da arte aberta à recepção. ARS (São Paulo), v.1, p.31 - 43, 2003.

DUARTE JR., João-Francisco. O que é beleza. 3. ed. São Paulo: Brasiliense, 1998.

FERRARA, Lucrecia D’Alessio. Por uma semiótica visual do espaço. In: FERRARA, Lucrecia D’Alessio. Design em espaços. São Paulo: Edições Rosari, 2002. p.94-115.

VÁZQUEZ, Adolfo. O objeto da estética. In: VÁZQUEZ, Adolfo. Convite à estética. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1999. p.33-47.

EGUIZÁBAL, Raúl. El postconsumo. La condición consumidora en la Sociedad de la Información. Telos. Cuadernos de comunicación, tecnología y sociedad. p. 1-13. 2006. n.67. Disponível em: https://dialnet.unirioja.es/servlet/articulo?codigo=1977344. Acesso em 24.mar.2020.


McCULLOUGH, Malcolm. Digital ground: architecture, pervasive computing, and environmental knowing. Cambridge: MIT Press, 2005.


FLUSSER, Vilém. Filosofia da caixa preta. São Paulo: Hucitec, 1985.

ARGAN, Giulio. A crise do design. In: ARGAN, Giulio. História da Arte como história da cidade. São Paulo: Martins Fontes, 1992. p.251-265.

CRUZ, Maria Teresa. O Artificial ou A cultura do design total. Interact. Revista online arte, cultura e tecnologia, n.7, p.1-6, fev. 2004. Disponível em:  http://www.interact.com.pt/memory/interact7/ensaio/ensaio4.html. Acesso em: 24.mar.20.


MIRANDA, José A. B. de. O design como problema. Interact. Revista online arte, cultura e tecnologia, n.10, p.1-20, fev. 2004. Disponível em:  http://www.interact.com.pt/memory/interact10/ensaio/ensaio3.html. Acesso em 24.mar.2020.

MEYGIDE, Roxana. Diseño y arte: materia de reconocimiento. In: CALVERA, Anna (ed.). Arte¿?Diseño: nuevos capítulos en una polémica que viene de lejos. Barcelona: Editorial Gili, 2003. p.161-172.

CAMPI, Isabel. Sobre la consideración artística del diseño: un análisis sociológico. In: CALVERA, Anna (ed.). Arte¿?Diseño: nuevos capítulos en una polémica que viene de lejos. Barcelona: Editorial Gili, 2003. p.139-159.

FERRARA, Lucrecia. El arte em el rito: um rito de paso. In: CALVERA, Anna (ed.). Arte¿?Diseño: nuevos capítulos en una polémica que viene de lejos. Barcelona: Editorial Gili, 2003. p.173-182.

DENIS, Rafael C. Putting the magic back into design: from object fetishism to product semantics and beyond. Art on the line. International arts journal. v.1, p.1-21, 2004. Disponível em: http://www.nomads.usp.br/documentos/textos/design_mobiliarios_objetos/arq_textos/20041_02.pdf. Acesso em 24.mar.2020.


CRILLY, Nathan; MOULTRIE, James; CLARKSON, John. Seeing things: consumer response to the visual domain in product design. Design Studies. n. 24. 2004. p.547-577.

BUCHANAN, Richard. Declaración por Diseño: retórica, argumento y demostración en la práctica del diseño. Design Issues. v2, n1 (Spring, 1985), p. 4-22

Disponível em: https://www.jstor.org/stable/1511524?seq=1. Acesso em 24.mar.2020.


NADIN, Mihai. Design and Semiotics. In: Semiotics in the Individual Sciences, vol. II. W.A. Koch Ed. Bochum: Brockmeyer, 1990. pp. 418-436. Disponível em:

https://www.nadin.ws/wp-content/uploads/2007/02/design_and_semiotics.pdf. Acesso em 24.mar.2020.


 

LIVROS

Arte_Design_Tecnologia


Este livro reúne um conjunto de nove artigos apresentados durante o II Seminário do Grupo de Pesquisa em Arte, Design e Mídias Digitais, GP_ADMD (CNPQ e USP), intitulado Arte_Design_Tecnologia. O Seminário, realizado nos dias 5 e 6 de agosto de 2019 no EdA (Espaço das Artes) da Escola de Comunicações e Artes (ECA-USP), teve apoio do Programa de Pós-Graduação em Artes Visuais da USP (PPGAV-ECA-USP).


Com esta publicação, que tem título homônimo ao referido Seminário, o GP_ADMD intenta colocar à disposição de leitores as comunicações apresentadas no Evento referido. Os artigos dão a conhecer as ideias e os pensamentos de professores e estudantes de pós-graduação acerca de questões implicadas na interdisciplinaridade daquelas três áreas.


Enfim, os trabalhos desta publicação nos levam a refletir e apreender sobre o emaranhado conceitual e processual que circunscreve as superposições entre arte, design e tecnologia.

Monica Tavares, Juliana Henno e André Pitol 

Os Editores


Autores:

Monica Tavares • Juliana Henno • André Pitol • Alessandra Lucia Bochio • Ana Carolina Braga Neto • 

Cintia Valente Ruiz • Cristiane Alcântara • Eduardo Salvino • Felipe Merker Castellani • Gilbertto Prado • 

Matheus da Rocha Montanari • Priscila Duarte Guerra • Suzete Venturelli


(download PDF)

corpo_arte_tecnologia


O livro arte_corpo_tecnologia, organizado por Monica Tavares, Juliana Henno, Helena Damélio, Alessandra Bochio e Aline Antunes, leva o leitor a apreciar pensamentos que discutem variadas questões, como o corpo no universo da ciência e da tecnologia; o corpo no ambiente do ciberespaço e o corpo como agente de mediação.Os autores, convidados para refletir sobre esses assuntos, demonstram que arte e tecnologia se complementam, pois são fatores intransferíveis de atribuição de sentido para o tema corpo. No cenário contemporâneo, a tecnologia tem sido criticada quando desempenha papéis extremamente complexos, às vezes, dúbios. Neste livro, entretanto, a tecnologia é uma aliada privilegiada do projeto de sensibilização e também de abstração do universo visual e integra ainda possibilidades de mediação sensorial que surgem como contrapeso à tendência puramente uniformizante e ordenadora da tecnociência.

Suzete Venturelli


Autores:

Lucia Santaella • Lucia Leão • Ivani Santana • Cleomar Rocha • Wagner Bandeira • Aline Antunes • Helena Damélio • Elisabeth Eglem • Juliana Henno • Monica Tavares • Alessandra Bochio • Felipe Merker Castellani •

Bénédicte Le Hegarat

(download PDF)

 

SEMINÁRIOS


Espaço das Artes

EdA - ECA - USP

5 - 6 Agosto 2019


Dep. Artes Plásticas

CAP - ECA - USP

9 - 10 Dezembro 2006

Empty Chairs in Lecture Room
 

II SEMINÁRIO DO GRUPO DE PESQUISA EM ARTE, DESIGN E MÍDIAS DIGITAIS



Os universos da arte e do design reportam consigo paradigmas que remetem a regimes específicos de produção e recepção de objetos. Todavia, ao se levar em consideração que as mídias digitais trazem consigo determinadas potencialidades e que estas implicam características próprias e aglutinadoras na mediação dos processos comunicativos da arte e do design, o II Seminário do Grupo de Pesquisa em Arte, Design e Mídias Digitais, GP_ADMD Arte_Design_Tecnologia teve como objetivo refletir acerca de questões implicadas entre a criação e a recepção mediada pela tecnologia digital nos contextos da arte e do design.


Ao se caracterizar como espaço de intercâmbio acadêmico, neste Seminário, a comunicação apresentada por cada expositor foi primeiramente debatida por um relator, selecionado dentre os participantes do Evento. Este formato buscou incentivar e assegurar espaço para discussão, a ser posteriormente aberta à plateia, com vistas a garantir a troca de ideias e priorizar o caráter dialógico próprio de um ambiente universitário. Intencionou-se com este formato estimular a reflexão e, sobretudo, ampliar a discussão sobre as pesquisas em desenvolvimento dos membros do Grupo. A seguir apresentamos na integra a programação do Seminário.


Programa do evento

5 a 6 de agosto 2019

EdA – Espaço das Artes / ECA - USP

Organização e Realização: Grupo de Pesquisa em Arte, Design e Mídias Digitais - GP_ADMD

O evento foi dividido em 2 palestras e 9 comunicações, abaixo discriminadas:


Dia 5 de agosto, segunda-feira | manhã

8h30 – 9h30: Palestra de abertura – Gilbertto Prado (UAM-USP)

9h30 – 10h00: Comunicação – Alessandra Bochio (UFRGS) e Felipe Merker (UFPel)

10h – 10h30: Relatoria – Eduardo Salvino (USP) / Discussões

11h00 – 11h30: Comunicação – André Pitol (USP)

11h30 – 12h00: Relatoria – Priscila Guerra (USP) / Discussões


Dia 5 de agosto, segunda-feira | tarde

14h00 – 14h30: Comunicação – Cristiane Alcântara (UFU)

14h30 – 15h00: Relatoria – André Pitol (USP) / Discussões

15h00 – 15h30: Comunicação – Eduardo Salvino (USP)

15h30 – 16h00: Relatoria - Cristiane Alcântara (UFU) / Discussões

16h30 – 17h00: Comunicação – Monica Tavares (USP) e Juliana Henno (IED)

17h30 – 18h00: Relatoria – Alessandra Bochio (UFRGS) e Felipe Merker (UFPel) / Discussões


Dia 6 de agosto, terça-feira | manhã

8h30 às 9h00: Comunicação – Matheus da Rocha Montanari (USP) e Gilbertto Prado (UAM-USP)

9h às 9h30: Relatoria – Cintia Valente Ruiz (UAM) e Suzete Venturelli (UAM-UnB) / Discussões

9h30 às 10h00: Comunicação – Ana Carolina Braga Neto (USP)

10h às 10h30: Relatoria - Matheus da Rocha Montanari (USP) e Gilbertto Prado (UAM-USP) / Discussões

11h às 11h30: Comunicação – Cintia Valente Ruiz (UAM) e Suzete Venturelli (UAM-UnB)

11h30 – 12h00: Relatoria – Monica Tavares (USP) e Juliana Henno (IED) / Discussões



Dia 6 de agosto, terça-feira | tarde

14h00 às 14h30: Comunicação – Priscila Guerra (USP)

14h30 às 15h00: Relatoria – Ana Carolina Braga Neto (USP) / Discussões

15h00 às 16h00: Palestra de encerramento - Suzete Venturelli

Voltar

 

I SEMINÁRIO DO GRUPO DE PESQUISA EM ARTE, DESIGN E MÍDIAS DIGITAIS



Nos dias 9 e 10 de dezembro de 2006, foi realizado, no Departamento de Artes Plásticas da ECA/USP, o I Seminário Interno do Grupo de Pesquisa em Arte, Design e Mídias Digitais.

Tendo como tema "Arte e comunicação: uma experiência estética", o objetivo do encontro foi difundir e discutir as pesquisas vinculadas a esta temática que estão sendo desenvolvidas por membros do Grupo.

O evento contou com a participação dos pesquisadores Monica Tavares (USP), Vera Bonnemasou, Cleomar Rocha (UNIFACS) e Luisa Paraguai (UNISO), além dos seguintes alunos de pós-graduação e graduação: Helia Vannucci, Marly de Menezes Gonçalves, Cézar Katsumi Hirashima, Tomas Sniker, Leilyanne Marques da Silva e Aline Salgado.

Os trabalhos apresentados foram os seguintes:

• "O que sustenta a produção de sentido nos contextos da arte e do design?" de Monica Tavares

• "Arte e comunicação: experiência estética" de Vera Bonnemasou

• "O imanente e o inacabado: entre as dimensões sensível e pragmática da experiência de arte tecnológica" de Cleomar Rocha

• "Espaços híbridos: desconexões e interconexões" de Luisa Paraguai

• "Comunicação, estética e design: por um método analítico" de Cleomar Rocha

• "Da geometria e do desenho à representação gráfica pelos meios digitais" de Marly de Menezes Gonçalves

• "Estudo inicial das regras como elemento fundamental dos jogos eletrônicos" de Helia Vannucchi

• "Isomorfia e diagrama: recriando o poema "river-sandbank" de Garnier e Nikuni" de Cézar Katsumi Hirashima

• "O design na sociedade do hiperconsumo" de Tomas Guner Sniker e Luís Gustavo Bueno Geraldo

• "O processo de comunicação estética do objeto do design" de Leilyanne Ferreira Marques da Silva / Monica Tavares

• "Os modos de configuração dos objetos e design e arte gerados a partir do uso de dispositivos móveis" de Aline Carelli Salgado / Monica Tavares.

Voltar

 
304a30473d2d578f578725bb0ef03f45.JPG

304a30473d2d578f578725bb0ef03f45.JPG

 

1:1 (2). Lisa Jevbratt. Disponível em:

http://128.111.69.4/~jevbratt/1_to_1/index_ng.html. Acesso em 24.mar.2020.

ADA. Karina Smigla-Bobinski. Disponível em:

https://www.smigla-bobinski.com/english/works/ADA/index.html. Acesso em 24.mar.2020.


Amodal Suspension. Rafael Lozano-Hemmer. Disponível em:

http://www.lozano-hemmer.com/amodal_suspension.php. Acesso em 24.mar.2020.

Blinkenlights. Tim Pritlove. Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=PZRUtKYCpms. Acesso em: 24.mar.2020.

Caixa dos horizontes possíveis. Gilbertto Prado. Disponível em: http://www.poeticasdigitais.net/caixa.html. Acesso em: 04.abr.2020. 

Can you see me now? Blasth Theory. Disponível em:

https://www.blasttheory.co.uk/projects/can-you-see-me-now/. Acesso em: Acesso em 24.mar.2020.


Computational Chair Design. EZCT Architecture & Design Research. Disponível em:

http://transnatural.org/wp-content/uploads/2011/09/EZCT_Booklet-Screen.pdf. Acesso em: Acesso em 24.mar.2020.


Dialtones. Golan Levin. Disponível em: http://www.flong.com/storage/experience/telesymphony/index.html. Acesso em 24.mar.2020.

Digital Hammer. Kathryn Hinton. Disponível em: https://kathrynhinton81.wordpress.com/2011/07/09/digital-hammer-process/. Acesso em: 08.abr.2020.

Every Icon. John F. Simon Jr. Disponível em: http://www.numeral.com/appletsoftware/eicon.html. Acesso em 24.mar.2020.


Evolved Virtual Creatures. Karl Sims. Disponível em: https://www.karlsims.com/evolved-virtual-creatures.html. Acesso em 24.mar.2020.


Filament Sculptures. LIA. Disponível em: www.liaworks.com. Acesso em: 08.abr.2020.

Floatables. Haque Design + Research. Disponível em: https://www.haque.co.uk/floatables.php. Acesso em 24.mar.2020.


Formatividade II. Monica Tavares, Juliana Henno, GP_ADMD. Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=-e09nVBlKZ8. Acesso em: 07.04.20.

GFP Bunny. Eduardo Kac. Disponível em: http://www.ekac.org/gfpbunny.html#gfpbunnyanchor.  Acesso em: 04.mar.2020.


GPS Drawing. Jeremy Wood, Hugh Pryor e Alex Garfitt. Disponível em: http://www.gpsdrawing.com/info.html.  Acesso em 24.mar.2020.

GPS:: Tron. Thomas Winkler. Disponível em: http://archive.aec.at/prix/showmode/1043/. Acesso em 24.mar.2020.


I am the Venus. Helena Lukasova. Disponível em: https://helenalukasova.com/I-AM-VENUS. Acesso em 24.mar.2020.

Intervenções artísticas no Museu Casa de Cora Coralina. Cleomar Rocha e Media Lab / UFG. Disponível em: https://www.medialab.ufg.br/p/16418-museu-casa-de-cora-coralina. Acesso em: 04.abr.2020.

Iceberg series. Jonathan Keep. Disponível em: http://www.keep-art.co.uk/digitial_icebergs.html. Acesso em: 08.abr.2020.


Ki-Light.  François Brumment, Sonia Laugier. Disponível em: http://www.in-flexions.com. Acesso em: 08.abr.2020.

KnitCandela. Block Research Group, ETH Zurich, ZHCode, Zaha Hadid Architects / Architecture Extrapolated (R-Ex), National Centre for Competence in Research (NCCR) Digital Fabrication. Disponível em: https://www.dezeen.com/2018/11/02/zaha-hadid-architects-eth-zurich-3d-knitted-concrete-formwork-knitcrete-knitcandela/. Acesso em 24.mar.2020.


L’Artisan Electronique. Unfold e Tim Knapen. Disponível em: http://unfold.be/pages/l-artisan-electronique.html. Acesso em 24.mar.2020.


Makies. MakieLab. Disponível em: https://www.imaginethat-3d.com/makies-doll-factory-app. Acesso em: 08.abr.2020.

Nóize Chair. Guto Requena Studio. Disponível em: https://gutorequena.com/noize-1/. Acesso em: 08.abr.2020.

On Translation - The Internet Project. Antonio Muntadas. Disponível em: http://adaweb.walkerart.org/influx/muntadas/index.html. Acesso em 24.mar.2020.


Orquídea. Suzete Venturelli. Artur Reis. Fernando Aguiar. Guilherme Balduíno. Leandro Ferreira. Prahlada Hargraeves. Tainá Ramos. Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=iBy8YSnn_wQ. Acesso em: 04.abr.2020. 

Osmose. Char Davies. Disponível em: http://www.immersence.com/osmose/. Acesso em 24.mar.2020.


Portrait No.1. Luc Courchesne. Disponível em:

https://www.fondation-langlois.org/html/e/page.php?NumPage=157. Acesso em 24.mar.2020.


Porifra. Nervous System. Disponível em:  https://n-e-r-v-o-u-s.com/projects/albums/porifera-ceramic/. Acesso em 24.mar.2020.


Prosthetic Head. Stelarc. Disponível em: http://stelarc.org/?catID=20241. Acesso em 24.mar.2020.


RAP. Leonel Moura. Disponível em: http://www.leonelmoura.com/rap-2/. Acesso em 24.mar.2020.

Renga (Linked Images). Rieko Nakamura e Toshihiro Anzai.  Disponível em: https://digitalartarchive.siggraph.org/artwork/toshihiro-anzai-renga-linked-images/. Acesso em 24.mar.2020.


Scumak n.2. Roxy Paine. Disponível em: http://roxypaine.com. Acesso em: 08.abr. 2020.

Sensity. Stanza. Disponível em: https://stanza.co.uk/sensity/index.html#Sensity. Acesso em 24.mar.2020.


Seven mile boots. Laura Beloff, Erich Berger, Martin Pichlmair. Disponível em: http://randomseed.org/sevenmileboots. Acesso em 24.mar.2020.

Shape. Allan McCollum. Disponível em: http://allanmccollum.net/allanmcnyc/berlin/berlinpix.html. Acesso em: 08.abr.2020.


Shine. Geoffrey Mann. Disponível em: https://collections.dma.org/artwork/5349058. Acesso em: 08.abr. 2020.


Tall Ships. Gary Hill. Disponível em: http://garyhill.com/work/mixed_media_installation/tall-ships.html. Acesso em 24.mar.2020.


The Alternative Limb Project. Sophie de Oliveira Barata. Disponível em: http://www.thealternativelimbproject.com/. Acesso em: 08.abr.2020.

The Choreography of Everyday Movement. Teri Rueb. Disponível em:

http://terirueb.net/the-choreography-of-everyday-movement-2001/. Acesso em 24.mar.2020.


The head. Laura Beloff. Disponível em: http://www.realitydisfunction.org/head/. Acesso em 24.mar.2020.

The hug shirt. Francesca Rosella e Ryan Genz. Disponível em http://cutecircuit.com/the-hug-shirt/.

Acesso em 24.mar.2020.


The legible city. Jeffrey Shaw.  Disponível em: https://www.jeffreyshawcompendium.com/portfolio/legible-city/. Acesso em 24.mar.2020.

The Tables Turned – A telematic scene on the same subject. Paul Sermon. Disponível em: https://www.hgb-leipzig.de/~sermon/table/. Acesso em 24.mar.2020.


The umbrella net. Jonah Brucker-Cohen e Katherine Moriwaki. Disponível em:

http://www.coin-operated.com/2010/05/04/umbrella-net-2004/. Acesso em 24.mar.2020.

Uncle Roy all around you. Blast Theory. Disponível em: https://www.blasttheory.co.uk/projects/uncle-roy-all-around-you/. Acesso em 24.mar.2020.

Une seconde vie #1. Nick Hornby. Disponível em: https://gardenmuseum.org.uk/nick-hornby-une-seconde-vie-1-2017/. Acesso em: 08.abr.2020.

[USED]clothing. Martin Mairinger. Disponível em: http://archive.aec.at/prix/showmode/5588/. Acesso em 24.mar.2020.


Very Nervous System. David Rokeby. Disponível em: http://www.davidrokeby.com/vns.html. Acesso em 24.mar.2020.


WiFi.Bedouin. Julian Bleecker. Disponível em: http://www.techkwondo.com/projects/bedouin/index.html. Acesso em 24.mar.2020.


Written on the body, a tribute to surface. Unfold. Disponível em: http://unfold.be/pages/written-on-the-body.html. Acesso em: 08.abr.2020.

Yellow Arrow. Michael Counts, Christopher Allen, Brian House, and Jesse Shapins.

Disponível em https://docubase.mit.edu/project/yellow-arrow/. Acesso em 24.mar.2020.


Zerseher. D. Lüsebrink e J. Sauter. Disponível em: http://www.joachimsauter.com/en/work/zerseher.html. Acesso em 24.mar.2020.

Voltar

 
 

Material impresso-Material digital

Referências bibliográficas concernentes aos temas de pesquisa investigados:



ARANTES, Priscila. Memória, Arquivo e Curadoria na Cultura Digital. AURORA (PUCSP. ONLINE), v. 12, p. 95, 2019. Disponível em: https://revistas.pucsp.br/aurora/article/view/43928. Acesso em: 25.mar.2020.


ARANTES, P.; BARBOSA, V.. Design fora de serie. Revista Brasileira de Expressão Gráfica, v. 22, p. 78-90, 2018. Disponível em: http://www.educacaografica.inf.br/artigos/design-fora-de-serie-a-producao-contemporanea-do-estudio-manus-outstanding-design-estudio-manus-contemporary-production. Acesso em: 25.mar.2020.

ARAÚJO, Denise Correa (org.). Imagem (ir)realidade: comunicação e cibermídia. Porto Alegre: Sulina, 2006.


ARAUJO, Yara. Impalavrável. DAT Journal – Design Art and Technology, 4(3), 128-140, 2019. Disponível em: https://datjournal.anhembi.br/dat/article/view/153. Acesso em: 25.mar.2020.

BARBOSA, P. Metamorfoses do real: arte, imaginário e conhecimento estético. Porto: Afrontamento, 1995.

BARNICOAT, John. Los carteles: su historia y su lenguaje. 5ed. Justo G. Beramendi (trad.). Barcelona: Gustavo Gili, 2000.

BEIGUELMAN, Giselle. Arte Wireless. Razon y palabra, n.41, ano 9, p.1-6, out.nov. 2004. Disponível em: http://www.razonypalabra.org.mx/anteriores/n41/gbeiguel.html. Acesso em: 25.mar.2020.

BENJAMIN, Walter. A obra de arte na era da sua reprodutibilidade técnica. In: BENJAMIN, Walter. Magia e técnica, arte e política. Ensaios sobre literatura e história da cultura. Obras escolhidas. 5. ed. Sérgio Paulo Rouanet (trad.). São Paulo: Brasiliense, 1995. v.1. p.165-196.

BENJAMIN, Walter. O autor como produtor. In: BENJAMIN, Walter. Magia e técnica, arte e política. Ensaios sobre literatura e história da cultura. Obras escolhidas. 5. ed. Sérgio Paulo Rouanet (trad.). São Paulo: Brasiliense, 1995. v.1. p.120-136. BENSE, Max. Pequena estética. São Paulo: Perspectiva, 1975.

BERGER, René. Arte y Comunicación. Barcelona: Ed. Gustavo Gili, 1976.

BIGAL, Solange. O design e o desenho industrial. São Paulo: Annablume, 2001.

BOMFIM, Gustavo Amarante. Idéias e formas na história do design: uma investigação estética. Campina Grande: Universidade Federal da Paraíba/Centro de Ciências e Tecnologia, 1995.


BONNEMASOU, Vera. O sentido semiótico do signo de arte visual. Revista Digital Art&, ano 2, n. 1, abril 2004. Disponível em: http://www.revista.art.br/site-numero-01/trabalhos/pagina/13.htm. Acesso em: 25.mar.2020.

BONNEMASOU, Vera. A arte como linguagem. Cadernos da Pós-graduação: Instituto de Artes/ UNICAMP, ano 6, v. 6, n.2, 2002, p.144-150.


BONNEMASOU, Vera. A integração das artes e a pós-modernidade. Revista Significação, São Paulo, v. 18, p. 115-124, 2002.

BONNEMASOU, Vera. A representação na primeiridade como modelo à comunicação. In: Anais do XI Compós GT Epistemologia da Comunicação, 2002, Rio de Janeiro. Anais do XI Compós, 2002, p.1-11. Disponível em: http://www.compos.org.br/data/biblioteca_706.pdf. Acesso em: 25.mar.2020.


BONSIEPE, Gui. Design: do material ao digital. Florianópolis: FIESC/IEL, 1997.

BONSIEPE, Gui. Diseño industrial: artefacto e projecto. Madrid: Alberto Corazon Editor, 1975.

BONSIEPE, Gui. Teoria e prática do design industrial: elementos para um manual crítico. Lisboa: Centro Português de Design, 1992.

BRASIL, André et al. (orgs.). Cultura em fluxo: novas mediações em rede. Belo Horizonte: Editora PUC Minas, 2004.

BRETON, Philippe. A argumentação na comunicação. 2.ed. Viviane Ribeiro (trad.). Bauru, SP: EDUSC, 2003.

BUCHANAN, Richard. Declaration by design: rhetoric, argument, and demonstration in design practice. In: MARGOLIN, Victor (edit.). Design discourse: history, theory, criticism. Chicago: The University of Chicago Press, 1989. p.91-109.

BÜRDEK, Bernhard. Diseño: historia, teoria y práctica del diseño industrial. Barcelona: Gustavo Gilli, 1999.

CALVERA, Anna (ed.). Arte¿?Diseño: nuevos capítulos en una polémica que viene de lejos. Barcelona: Editorial Gili, 2003.


CAUDURO, Flávio V. Différance e comunicação. FAMECOS. P. Alegre, n.10. p. 67-73. jun. 1999. Disponível em: http://revistaseletronicas.pucrs.br/ojs/index.php/revistafamecos/article/view/540. Acesso em: 05.abr.2020.

CAUDURO, Flávio V. Escrita e différance. FAMECOS. P. Alegre, n.5, p.63-72. dez. 1996. Disponível em:  http://revistaseletronicas.pucrs.br/ojs/index.php/revistafamecos/article/view/2949. Acesso em: 25.mar.2020.


CAUDURO, Flávio V. Linguagem & comunicação gráfica (I). FAMECOS. P. Alegre, n.4, p.39-50. mai. 1996. Disponível em: http://revistaseletronicas.pucrs.br/ojs/index.php/revistafamecos/article/view/2936. Acesso em: 25.mar.2020.


CAUDURO, Flávio V. O design na era digital. FAMECOS. P. Alegre, n.6, p.96-105. jun. 1997. Disponível em: http://revistaseletronicas.pucrs.br/ojs/index.php/revistafamecos/article/view/2969. Acesso em: 25.mar.2020.


CELANI, Gabriela; VAZ, Carlos Eduardo Verzola; PUPO, Regiane. Sistemas generativos de projeto: Classificação e reflexão sob o ponto de vista da representação e dos meios de produção. Revista Brasileira de Expressão Gráfica, v. 1, p. 22-39, 2013. Disponível em: https://rbeg.net/artigos/artigo2.pdf. Acesso em: 24.mar.2020.


CELANI, G.; FRAJNDLICH, R. U. C. From prototypical to prototyping: mass-customization versus 20th century utopias in architecture and urban design. PARC: Pesquisa em Arquitetura e Construção, v. 7, n.3.p. 160-169, 2016. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/parc/article/view/8647348/15223. Acesso em: 24.mar.20.


COUCHOT, Edmond. La technologie dans l’art: de la photographie à la realité virtuelle. Nîmes: Éditions Jacqueline Chambon, 1998.


CRUZ, Maria Teresa. O Artificial ou A cultura do design total. Interact. Revista online arte, cultura e tecnologia, n.7, p.1-6, fev. 2004. Disponível em:  http://www.interact.com.pt/memory/interact7/ensaio/ensaio4.html. Acesso em: 24.mar.20.


DENIS, Rafael C. Putting the magic back into design: from object fetishism to product semantics and beyond. Art on the line. International arts journal. v.1, p.1-21, 2004. Disponível em:

http://www.nomads.usp.br/documentos/textos/design_mobiliarios_objetos/arq_textos/20041_02.pdf.

Acesso em 24.mar.2020.


DOMINGUES, Diana. A humanização das tecnologias pela arte. In: DOMINGUES, Diana (org.). A arte no século XXI: a humanização das tecnologias. São Paulo: Editora da Unesp, 1997.

DOMINGUES, Diana (org.). Arte e vida no século XXI: tecnologia, ciência e criatividade. São Paulo: Editora Unesp, 2003.


DORFLES, Gillo. Elogio da desamornia. Lisboa: Edições 70, s.d.

DORFLES, Gillo. O design industrial e a sua estética. Lisboa: Editorial Presença, 1991.

DUFRENNE, Mikel. Phénoménologie de l´expérience esthétique. L'objet esthétique. v.1. Paris : PUF, 1967.

DUFRENNE, Mikel. Phénoménologie de l´expérience esthétique. La perception esthétique. v.2. Paris : PUF, 1967.

DUNN, Nick. Digital Fabrication in Architecture. London: Laurence King Publishing, 2012. 


ECO, Umberto. Obra aberta: forma e indeterminação nas poéticas contemporâneas. São Paulo: Perspectiva, 1969.

ECO, Umberto. Lector in fabula: a cooperação interpretativa nos textos narrativos São Paulo: Perspectiva, 1986.

ECO, Umberto. Os limites da interpretação. São Paulo: Perspectiva, 1995.


EGUIZÁBAL, Raúl. El postconsumo. La condición consumidora en la Sociedad de la Información. Telos. Cuadernos de comunicación, tecnología y sociedad. p. 1-13. 2006. n.67. Disponível em: https://dialnet.unirioja.es/servlet/articulo?codigo=1977344. Acesso em 24.mar.2020.


FAUSTO NETO, Antonio. A deflagração do sentido. Estratégias de produção e de captura da recepção. In: SOUZA, Mauro Wilton de. (org.). Sujeito, o lado oculto do receptor. 1.ed. 2 reimp. Sílvia Cristina Dotta e Kiel Pimenta (trad. e transc.). São Paulo: Brasiliense, 2002. p.189-222

FERRARA, Lucrécia D’A. A estratégia dos signos. São Paulo: Perspectiva, 1986a.

FERRARA, Lucrécia D’A. Epistemologia da comunicação: além do sujeito e aquém do objeto. In: LOPES, Maria Immacolata Vassallo de (org.). Epistemologia da comunicação. São Paulo: Loyola, 2003. p.41-54.

FERRARA, Lucrécia D’Aléssio. Leitura sem palavras. São Paulo: Ática, 1986b.

FERRARA, Lucrécia D’Alessio Ferrara. Objeto e valor. Design & Interiores, ano2, n.12, p.123-124, 1989.

GOODMAN, Nelson. Los lenguajes del arte: aproximación a la teoría de los símbolos. Barcelona: Editorial Seix Barral, 1976.


GUIMARÃES, César. A experiência estética e a vida ordinária. e-compós, 1.ed, p.1-12, dez. 2004. Disponível em: https://www.e-compos.org.br/e-compos/article/view/14. Acesso em 24.mar.2020.


GUIMARÃES, César; LEAL, Bruno Souza; MENDONÇA, Carlos Camargos (orgs.). Comunicação e experiência estética. Belo Horizonte; Editora UFMG, 2006.

HENNO, Juliana. As correlações entre os sistemas generativos e a fabricação digital no contexto das artes visuais. Tese de doutorado. São Paulo: ECA-USP, 2016.


HOSKINS, Stephen. 3D Printing for artists, designers and makers. London; New Delhi; New York; Sidney: Bloomsbury, 2013.


HUISMAN, Denis. A estética. Lisboa: Ed. 70. s.d.

ISER, Wolfgang. A interação do texto com o leitor. In: LIMA, Luis Costa (org.) A literatura e o leitor: textos de estética da recepção. São Paulo: Paz e Terra, 1979. p.83-132.

ISER, Wolfgang. El proceso de lectura: enfoque fenomenológico. In: MAYORAL, José Antonio (org.). Estética de la recepción. Madrid: Ed. ARCO/LIBROS, 1987. p.215-243.

ISER, Wolfgang. O ato da leitura: uma teoria do efeito estético. 1.ed. Johannes Kretschmer (trad.). v1. São Paulo: Editora 34, 1996.

ISER, Wolfgang. O ato da leitura: uma teoria do efeito estético. 1.ed. Johannes Kretschmer (trad.). v2. São Paulo: Editora 34, 1999.

IWAMOTO, Lisa. Digital fabrications: architectural and material techniques. New York, New York: Princeton Architectural Press: 2009.


JACKS, Nilda; ESCOSTEGUY, Ana Carolina. Comunicação e recepção. São Paulo: Hacker Editores, 2005.

JAUSS, Hans Robert. A história da literatura como provocação à teoria literária. Sérgio Tellaroli (trad.). São Paulo: Editora Ática, 1994.

JAUSS, Hans Robert. El lector como instancia de una nueva historia de la literatura. In: MAYORAL, José Antonio (org.). Estética de la recepción. Madrid: Ed. ARCO/LIBROS, 1987. p.59-85.

JAUSS, Hans Robert. Experiencia estética y hermenéutica literaria. Maurice Jacob (trad.). Madrid: Taurus Ediciones, 1986.

JAUSS, Hans Robert. O prazer estético e as experiências fundamentais da poiesis, aisthesis e katharsis. In: LIMA, Luis Costa (org.) A literatura e o leitor: textos de estética da recepção. São Paulo: Paz e Terra, 1979. p.63-82.

JAUSS, Hans Robert. Pour une esthétique de la réception. Claude Maillard (trad.). Paris: Éditions Gallimard, 1978.

JIMENEZ, Marc. O que é estética? 2.reimp. Fulvia M. L. Moretto (trad.). São Leopoldo, RS: E. UNISINOS, 1999.

JIMENEZ, Marc. Qu'est-ce que l'esthétique? Paris: Gallimard,1997.

JOHNSON, Steven. Cultura da Interface: como o computador transforma nossa maneira de criar e comunicar. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editor, 2001.

JOLY, Martine. La interpretación de la imagen: entre memória, estereotipo y seducción. Gilles Multigner (trad.). Barcelona : Paidós, 2003.

JOUVE, Vincent. A leitura. Brigitte Hervor (trad.). São Paulo: Editora UNESP, 2002.

KERCKHOVE,  de. A pele da cultura: uma investigação sobre a nova realidade electrónica. Luís Soares e Catarina Carvalho (trad.). Lisboa: Relógio D’água Editores Ltda, 1997.

KOLAREVIC, Branko. Architecture in the Digital Age: Design and Manufacturing. 1.ed. New York; London: Spon Press. Taylor & Francis Group, 2003. 


LABACO, Ronald T. Out of hand: materializing the postdigital. New York City; London: MAD; Black Dog Publishing: 2013.


LEÃO, Lucia (org.). O chip e o caleidoscópio: reflexões sobre as novas mídias. São Paulo: Editora SENAC, 2005. v. 1.

LEMOS, André. (coord.). RAZON Y PALABRA. Comunicaciones móviles (comunicações móveis). n.41, ano 9, out-nov. 2004. Disponível em http://www.razonypalabra.org.mx/anteriores/n41/index.html.

Acesso em 24.mar.2020.

LENZ, D. L. C.; Celani, Gabriela . Performative Architecture: uma arqueologia tecnológica. Arquitextos (São Paulo), v. 16, p. 186.04, 2015. Disponível em: https://www.vitruvius.com.br/revistas/read/arquitextos/16.186/5844. Acesso em: 24.mar.2020


LEOTE, Rosangella. ARTECIÊNCIARTE. 1. ed. São Paulo: UNESP, 2015. v. 1.


LIPSON, Hod L.; KURMAN, Melba. Fabricated: The new world of 3D Printing. Indianapolis, Indiana: John Wiley & Sons, Inc, 2013.


LÖBACH, Bernd. Design industrial: bases para a configuração dos produtos industriais. São Paulo: Ed. Edgard Blücher, 2001.

LOPES, Maria Immacolata Vassallo de (org.). Epistemologia da comunicação. São Paulo: Loyola, 2003.


MACHADO, Arlindo. Arte e mídia: aproximações e distinções. e-compós, 1.ed, p.1-15, dez. 2004. Disponível em: https://www.e-compos.org.br/e-compos/article/view/15. Acesso em 24.mar.2020.


MACHADO, Arlindo. Máquina e imaginário: o desafio das poéticas eletrônicas. São Paulo: Edusp, 1993.

MAFFESOLI, Michel. Mediações simbólicas: a imagem como vínculo social. FAMECOS. P. Alegre, n.8, p.7-14. jun. 1998. Disponível em: http://revistaseletronicas.pucrs.br/ojs/index.php/revistafamecos/article/view/5462/3. Acesso em 24.mar.2020.


MALDONADO, Tomás. El diseño industrial reconsiderado: definición, historia, bibliografia. Barcelona: Gustavo Gilli, 1981.

MANOVICH, Lev. The language of new media. Massachusetts: The MIT Press, 2001.

MATTELART, Armand; MATTELART, Michele. Pensar as mídias. Ana Paula Castellani (trad.). São Paulo: Edições Loyola, 2004.

McLUHAN, Marshall, PARKER, Harley. O espaço na poesia e na pintura através do ponto de fuga. São Paulo: Hemus, 1975.

McLUHAN, Marshall. Os meios de comunicação como extensões do homem. Décio Pignatari (trad.). São Paulo: Cultrix, 1974.


McCULLOUGH, Malcolm. Abstracting craft: the practiced digital hand. Cambridge: The MIT Press, 1996.


MEDEIROS, Maria Beatriz de (org.). A arte pesquisa. Ensino e Aprendizagem da Arte. Linguagens Visuais. Brasília, DF: Mestrado em Artes, UnB, 2003. v.1.

MEGGS, Philip B. Historia del diseño gráfico. 2.reimp. Martha Izaguirre I; Carlos Iriondo S ; Evia Vera S. (trad.). México: Editorial Trillas, 2000.

MERLEAU-PONTY, Maurice. Fenomenologia da percepção. São Paulo: Martins Fontes, 1996.

MERLEAU-PONTY, Maurice. L'oeil et l'esprit. Paris: Gallimard, 1964.

MERLEAU-PONTY, Maurice. O visível e o invisível. São Paulo: Perspectiva, 1984.

MEYGIDE, Roxana. Diseño y arte: materia de reconocimiento. In: CALVERA, Anna (ed.). Arte¿?Diseño: nuevos capítulos en una polémica que viene de lejos. Barcelona: Editorial Gili, 2003. p.161-172.


MIRANDA, José A. B. de. O design como problema. Interact. Revista online arte, cultura e tecnologia, n.10, p.1-20, fev. 2004. Disponível em:  http://www.interact.com.pt/memory/interact10/ensaio/ensaio3.html. Acesso em 24.mar.2020.

MOLES, Abraham. Arte e computador. Lisboa: Ed. Afrontamento, 1990.

MOLINUEVO, José Luis. La experiência estética moderna. Madrid: Editorial Sintesis, 2002.

MURRAY, Janet H. Hamlet no Holodeck: o futuro da narrativa no ciberespaço. Elissa Khoury Daher e Marcelo Fernandez Cuzziol (trads.). São Paulo: Itaú Cultural; Unesp, 2003.


OLIVEIRA, Luiz Sérgio de. A imagem é uma coisa que não é a coisa: o artista entre as camadas do espelho. ARS (São Paulo), v. 13, n,26, p. 104-117, 2015. Disponível em: http://www.revistas.usp.br/ars/article/view/106070/104721. Acesso em 24.mar.2020.


PAIVA, Cláudio Cardoso. Experiência e comunicabilidade na era do virtual. FAMECOS. P. Alegre, n.10, p.104-116. jun. 1999. Disponível em:  http://revistaseletronicas.pucrs.br/ojs/index.php/revistafamecos/article/view/3034. Acesso em 24.mar.2020.


PAPANEK, Victor. Arquitetura e design: ecologia e ética. Lisboa: Edições 70, 1995.

PARENTE, André (Org.) Imagem Máquina: a era das tecnologias do virtual. Rio de Janeiro: Editora 34, 1993a, p. 201-213.

PARENTE, André (org.). Tramas da rede. Porto Alegre: Sulina, 2004.

PAREYSON, L. Os problemas da estética. 2.ed. Maria Helena Nery (trad.). São Paulo: Martins Fontes, 1989.

PARRET, Herman. A estética da comunicação: além da pragmática. Roberta Pires de Oliveira (trad.). Campinas: Editora da UNICAMP, 1997.

PARRET, Herman. Fragmentos peirceanos sobre a experiência estética. Face. São Paulo. v.3. n.2. p.217-228. jul.dez 1990.

PARRET, Herman. Le sublime du quotidien. Paris; Amsterdam: Éditions Hadès-Benjamins, 1988.

PEIRCE, Charles Sanders. Semiótica. 2.ed. José Teixeira Coelho Neto (trad.). São Paulo: Perspectiva, 1990.

PERNIOLA, Mario. A estética do século XX. 1.ed. Teresa Antunes Cardoso (trad.). Lisboa: Editorial Estampa, 1998.

PETERS, Brady; PETERS, Terri. Inside Smart Geometry: Expanding the architectural possibilities of computational design. Chichester: John Wiley & Sons Ltd., 2013.


PICADO, José Benjamim. As semióticas da arte e as gramáticas da comunicação. In: VALVERDE, Monclar (org.). As formas do sentido: estudos em estética da comunicação. Rio de Janeiro: DP&A, 2003. p. 67-79.

PIGNATARI, Decio. Semiótica da arte e da arquitetura. 2.ed. São Paulo: Cultrix, 1981.


PLAZA, Julio. Arte e interatividade: autor-obra-recepção. ARS (São Paulo), 1(2), 09-29. Disponível em: http://www.revistas.usp.br/ars/article/view/2909. Acesso em 24.mar.2020.

PLAZA, Julio; TAVARES, Monica. Processos criativos com os meios eletrônicos: poéticas digitais. São Paulo: Hucitec, 1998.

POPPER, Frank. L’art à l’âge électronique. Paris: Hazan, 1993.

PRADO, Gilberto. Arte telemática: dos intercâmbios pontuais aos ambientes virtuais multiusuário. São Paulo: Itaú Cultural, 2003.


PRADO, Gilberto; TAVARES, M. B. S. ; ARANTES, Priscila. Diálogos transdisciplinares: arte e pesquisa. 1. ed. São Paulo: ECA- USP, 2016. v. 1.


PRADO, Gilberto; La FERLA, Jorge. Circuito Alameda. 1. ed. México: Instituto Nacional de Bellas Artes | Laboratorio Arte Alameda, 2018. v. 1.

QUARANTE, Danielle. Diseño industrial 1: elementos introdutórios. Barcelona: Ediciones CEAC, 1992.

QUÉRÉ, Louis. Des miroirs équivoques: aux origines de la communication moderne. Paris: Aubier Montaigne, 1982.

QUÉRÉ, Louis. D´un modèle epistemologique de la comminication a un modèle praxologique. Reseaux, n.46-47. CNET 1991. p. 69-90.


REAS, Casey; McWILLIAMS, Chandler; LUST. Form + Code in Design, Art, and Architecture.  New York: Princeton Architectural Press, 2010.


REIS, A. C.; VENTURELLI, Suzete ; PRADO, Gilbertto. Sinais detectados entre o biológico e o maquínico. DAT Journal – Design Art and Technology, v. 1, p. 117-127, 2019. Disponível em: https://datjournal.anhembi.br/dat/article/view/152. Acesso em 24.mar.2020.


REY, Sandra. The pleasure of the image. DAT Journal – Design Art and Technology, 4(3), 47-51.2019.  Disponível em: https://datjournal.anhembi.br/dat/article/view/146. Acesso em 24.mar.2020.


ROCHA, C. S; REGINO, P. Affordances And Enaction: Phenomenological Convergences In Affective Interfaces. DAT Journal – Design Art and Technology, v. 3, p. 29-38, 2018. Disponível em: 

https://datjournal.anhembi.br/dat/article/view/70. Acesso em 24.mar.2020.


ROCHA, C. S. Da singularidade da arte tecnológica. Revista VIS (UnB), v. 12, p. 49-55, 2013.


RODRIGUES, Adriano Duarte. Comunicação e cultura: a experiência cultural na era da informação. Lisboa: Editorial Presença, 1993.

RUBERT DE VENTÓS, Xavier. La estética y sus herejías. Barcelona: Editorial Anagrama, 1974.

SÁ, Simone P. de; ENNE, Ana L. (orgs.). Prazeres digitais: computadores, entretenimento e sociabilidade. Rio de Janeiro: E-papers Serviços Editoriais Ltda., 2004.

SANTAELLA, Lúcia; NÖTH, Winfried. Imagem: cognição, semiótica, mídia. São Paulo: Iluminuras, 1998.

SANTAELLA, Lúcia. Aesthetics of Fascination. DAT Journal – Design Art and Technology, 4(3), 22-36., 2019. Disponível em: https://datjournal.anhembi.br/dat/article/view/144. Acesso em 24.mar.2020.


SANTAELLA, Lúcia. A percepção: uma teoria semiótica. São Paulo: Experimento,1993.

SANTAELLA, Lúcia. Estética: de Platão a Peirce. São Paulo: Experimento,1994.

SANTAELLA, Lúcia. O homem e as máquinas. In: SANTAELLA, Lúcia. Cultura das mídias. São Paulo: Experimento, 1996. p.195-207.


SCHMITT, Fernando Bohrer. Comunicar: transmitir ou compartilhar? FAMECOS. P. Alegre, n.6, p.143-146. jun. 1997. Disponível em: http://revistaseletronicas.pucrs.br/ojs/index.php/revistafamecos/article/view/2976. Acesso em 24.mar.2020.


SEDREZ, M. R. ; CELANI, G. The new ornament in architecture: generation of complexity and fractals. Arquitextos (São Paulo), v. 17, p. 204.01, 2017. Disponível em: https://www.vitruvius.com.br/revistas/read/arquitextos/17.204/6549. Acesso em 24.mar.2020.


SOGABE, M. T. O ensino de artes e a formação do artista na academia. Marcelina (São Paulo), v. 4, p. 29-38, 2010.


SOGABE, M. Eye, technology and art. DAT Journal – Design Art and Technology, 4(3), 151-168, 2019. Disponível em: https://datjournal.anhembi.br/dat/article/view/155. Acesso em 24.mar.2020.


SOGABE, M. Falsa interface como recurso poético na obra interativa. ARS (São Paulo), 12(24), 63-69, 2014. Disponível em: http://www.revistas.usp.br/ars/article/view/96738. Acesso em 24.mar.2020.


SOUZA, Mauro Wilton de. (org.). Sujeito, o lado oculto do receptor. 1.ed. 2.reimp. Sílvia Cristina Dotta e Kiel Pimenta (trad. e transc.). São Paulo: Brasiliense, 2002.

SPARKE, Penny et al. Diseño: historia en imagenes. Madrid: Hermann Blume, 1987.

TAVARES, Monica. A especificidade da imagem interativa. In: CAPISANI, Dulcimira (org.). Transformação e Realidade: mundos convergentes e divergentes.1 ed.Campo Grande : Coordenadoria de Educação Aberta e a Distância, UFMS, 2001, p. 31-53.

TAVARES, Monica; HENNO, Juliana. A geometria computacional como via para a potencialização da criatividade. In: 16o Encontro Internacional de Arte e Tecnologia: #16.ART: Artis intelligentia: IMAGINAR O REAL, 2017, Porto. 16o Encontro Internacional de Arte e Tecnologia: #16.ART: Artis intelligentia: IMAGINAR O REAL. Porto: i2ADS - Instituto de Investigação em Arte, Design e Sociedade, 2017. v. 16. p. 976-988.


TAVARES, Monica. A recepção no contexto das poéticas interativas. Cultura visual, v.05, p.6 - 15, 2003.


TAVARES, Monica. A retórica procedimental como agente de articulação entre identidade e alteridade. ARS (São Paulo), v. 12, p. 83, 2014. Disponível em: http://www.revistas.usp.br/ars/article/view/96740. Acesso em 24.mar.2020.


TAVARES, Monica. Arte-design: a produção de sentido. In: 16o. Encontro Anual da Associação Nacional dos Programas de Pós-Graduação em Comunicação, 2007, Curitiba/SP. Anais do 16o. Encontro Anual da Associação Nacional dos Programas de Pós-Graduação em Comunicação (CD Rom). Curitiba: UTP; Compós, 2007. p.1 - 15. Disponível em: http://www.compos.org.br/data/biblioteca_234.pdf. Acesso em 24.mar.2020.


TAVARES, Monica. Aspectos estruturais e ontogênicos da interatividade In: Estratégias e culturas da comunicação. 1 ed.Brasília: Editora da Universidade de Brasília, 2002, p. 39-61.

TAVARES, Monica. As raízes poéticas da arte aberta à recepção In: MEDEIROS, Maria Beatriz de (org.). Arte em pesquisa: especificidades.1 ed.Brasília : Editora da Pós-Graduação em Artes da Unicamp, 2004, v.1, p. 226-238.

TAVARES, Monica. Ciberespaço e metodologias de criação. Conexão (Caxias do Sul), v.3, p.103 - 127, 2004. Disponível em: http://www.ucs.br/etc/revistas/index.php/conexao/article/view/92. Acesso em 24.mar.2020.


TAVARES, Monica. Design, arte e artesanato: a retomada de relações pela via da customização. PORTO ARTE: Revista de Artes Visuais, v. 24, p. 1-29, 2019. Disponível em: https://www.seer.ufrgs.br/PortoArte/article/view/92072. Acesso em 24.mar.2020.


TAVARES, Monica. Diferenças do criar com o uso das novas tecnologias In: O indivíduo e as mídias. 1 ed.Rio de Janeiro : Editora Diadorim, 1996, p. 288-298.


TAVARES, Monica. Digital poetics and Remix Culture: from the artisanal image to the immaterial image. In: Eduardo Navas, Owen Gallagher, xtine burrough. (Org.). The Routledge Companion to Remix Studies. 1ed.London and New York: Routledge, Taylor & Francis Group, 2015, v. , p. 192-203.


TAVARES, Monica. Interrelations between Art, Science and Research. In: ARTECH 2019: 9th International Conference on Digital and Interactive Arts, 2019, Braga Portugal. Proceedings of the 9th International Conference on Digital and Interactive Arts. New York: ACM, 2019. v. 9. p. 1.

TAVARES, Monica. Fundamentos estéticos da arte aberta à recepção. ARS (São Paulo), v.1, p.31 - 43, 2003.

TAVARES, Monica. O conceito de pacto de leitura nas poéticas interativas In: Livro da XIII Compós-2004. A comunicação revisitada.1 ed.Porto Alegre : Editora Sulina, 2005, p. 153-172.

TAVARES, Monica. Os circuitos da arte digital: entre o estético e o comunicacional?. ARS (São Paulo), v. 9, p. 86-101, 2007. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1678-53202007000100009. Acesso em 24.mar.2020.


TAVARES, Monica. Os processos criativos com os meios eletrônicos. INTERCOM (São Paulo), v.XIX, p.105 - 115, 1996.

TAVARES, Monica. Processos de Criação na Arte. In: ROIPHE, Alberto; MATTAR, Sumaya. (Org.). Processos de Criação na Educação e nas Artes. 1ed.São Paulo: ECA/USP, 2018, v. 1, p. 36-48.


TAVARES, Monica. The digital aesthetics: Its origins and paradigms. Technoetic Arts, v. 9, p. 3-16, 2011.


TAVARES, Monica; BONNEMASOU, Vera Regina Villela; PARAGUAI, Luisa; SNIKER, Tomas. Arte e design: uma convergência. In: 15° Encontro Anual da Associação Nacional dos Programas de Pós-graduação em Comunicação, 2006, Bauru. Anais do 15 Compós. Bauru: Compós; FAAC/UNESP, 2006. v.1. p.1 - 17. Disponível em: http://www.compos.org.br/data/biblioteca_526.pdf. Acesso em 24.mar.2020.


TAVARES, Monica; MENDES, Eugenio Lima. Design e Mercado: as normas vigentes e suas ideologias. In: 6° Congresso Brasileiro de Pesquisa e Desenvolvimento em Design (P&D), 2004, São Paulo. Anais do 6° Congresso Brasileiro de Pesquisa e Desenvolvimento em Design, P&D 2004, 2004. v.1. p.1 - 15.


TAVARES, Monica, VENTURELLI, Suzete. A exposição Cinético_Digital: conceitos e reflexões In: Cultura visual e desafios da pesquisa em arte. 1 ed.Goiânia : ANPAP, 2005, v.1, p. 518-527.

TAVARES, Monica, VENTURELLI, Suzete. Cinético_digital. ARS (São Paulo), v.3, p.104 - 115, 2005.

VALVERDE, Monclar (org.). As formas do sentido: estudos em estética da comunicação. Rio de Janeiro: DP&A, 2003.

VALVERDE, Monclar. Estética da comunicação: sentido, forma e valor nas cenas da cultura. Salvador: Quarteto, 2007.

VALVERDE, Monclar (org.). Padrões de recepção e sensibilidade. In: VALVERDE, Monclar (org.). As formas do sentido: estudos em estética da comunicação. Rio de Janeiro: DP&A, 2003. p.11-30.

VÁZQUEZ, Adolfo S. Convite à estética. Gilson Baptista Soares (trad.). Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1999.

VENTURELLI, Suzete. Arte: espaço_tempo_imagem. Brasília: Editora da UnB, 2004.


VENTURELLI, Suzete. Arte computacional. Brasília: Editora da UnB, 2017.


VENTURELLI, Suzete; MELO, M. A. O visível do invisível. ARS (São Paulo), v. 17, p. 203-214, 2019. Disponível em: http://www.revistas.usp.br/ars/article/view/152451. Acesso em 24.mar.2020.


VERÓN, Eliseo. A publicidade ou os misterios da recepção (1994). In: VERÓN, Eliseo. Fragmentos de um tecido. Vanise Dresch (trad.). São Leopoldo, RS: UNISINOS, 2004. p.264-284.

VERÓN, Eliseo. Fragmentos de um tecido. Vanise Dresch (trad.). São Leopoldo, RS: UNISINOS, 2004.

VERÓN, Eliseo. Pós-modernidade e teorias da linguagem: o fim dos funcionalismos (1985). In: VERÓN, Eliseo. Fragmentos de um tecido. Vanise Dresch (trad.). São Leopoldo, RS: UNISINOS, 2004. p.76-85

WEILL, Alan. Graphics: A century of poster and advertising design. Londres: Thames & Hudson, 2004.

WOLTON, Dominique. Internet, e depois? uma teoria crítica das novas mídias. Isabel Crossetti (trad.). Porto Alegre: Sulina, 2003.

WOLTON, Dominique. Pensar a comunicação. Zélia Leal Adghirni (trad.). Brasília: Editora da Universidade de Brasília, 2004.


ZILBERMAN, Regina. Estética da recepção e história da literatura. São Paulo: Ática, 1989.

Voltar

 

LINKS

REVISTAS


Actas de Diseño


American Journal of Semiotics 

ARS

ArtCultura


Artforum


ArtPress


Biblioteca on-line de Ciências da Informação

Ciberlegenda


Ciência e Cultura


Comunicação, Mídia e Consumo 

Concinnitas


Conexão – Comunicação e Cultura


Contemporânea


Contemporanea - Revista de Comunicação e Cultura


Contracampo


DATJournal


Design Studies


Devires – Cinema e Humanidades


e-compós


Eco-Pós


Em Questão – Revista da Faculdade de Biblioteconomia & Comunicação


FOROALFA


Galáxia – Revista Transdisciplinar de Comunicação, Semiótica, Cultura


Ghrebh – Revista de Comunicação, Cultura e Teoria da Mídia


Information Research

Intercom – Revista Brasileira de Ciências da Comunicação

INTERACT – Revista de Arte, Cultura e Tecnologia


InTexto

Journal of Design History


Leonardo Electronic Almanac

Leonardo on-line

LOGOS - Comunicação & Sociedade


MATRIZes


Media, Culture & Society

Novos Estudos.CEBRAP

PAJ: A Journal of Performance and Art


Periódicos da CAPES


Razon y Palavra


Revista Arte e Ensaios


Revista de Comunicação e Linguagens


Revista FAMECOS: mídia, cultura e tecnologia


Revista Fronteira


Revista INTERIN


Revista OHUN


Revista POIÉSIS


Revista PORTO ARTE


Revista PÓS


Revista TELOS – Cuadernos de comunicación, tecnología y sociedad


REVISTA VÍRUS


Revista VIS


Revista Visuais


Revista VISUALIDADES


RUMORES – Revista Online de Comunicação, Linguagem e Mídias


Semiótica


Significação: Revista de Cultura Audiovisual


Signo y Pensamiento


Technoetics Arts


Transinformação


Verso e Reverso


VISO - Cadernos de estética aplicada

OUTROS LINKS

 

Coordenação

MONICA BAPTISTA SAMPAIO TAVARES

Possui Livre-Docência pela Escola de Comunicações e Artes da USP na área "Fotografia, Multimidia e Intermidia" (2012), pós-doutoramento pela Pennsylvania State University (2009) e pela Cornell University (2014), na interdisciplinaridade das Artes, Design e Mídias Digitais, doutorado em Artes pela Universidade de São Paulo (2001), mestrado em Multimeios pela Universidade Estadual de Campinas (1995) e graduação em Arquitetura pela Universidade Federal da Bahia (1982). Atualmente é Bolsista PQ 2, atua no Programa de Pós-Graduação em Artes Visuais da ECA-USP, é parecerista Ad Hoc do CNPq, FAPESP, CAPES, líder do Grupo de Pesquisa em Artes, Design e Mídias Digitais (GP_ADMD) na Escola de Comunicações e Artes da USP. Tem experiência em Artes Visuais, Design, Comunicação Visual e Representação Gráfica com foco nos Estudos dos Meios Digitais. Atua nos seguintes temas: relações entre criação e recepção, estética, semiótica e intertextualidade.

cv_lattes

JULIANA HARRISON HENNO

Designer com habilitação programação visual e pesquisadora na área de arte, design e mídias digitais. Graduada em Desenho Industrial pela Fundação Armando Álvares Penteado (FAAP). Mestre em Artes Visuais pela Escola de Comunicações e Artes (ECA-USP) na linha de pesquisa de Multimeios e área de concentração em Poéticas Visuais, com a dissertação "A cor como fonte luminosa e a inserção do receptor". Doutora em Artes Visuais pela Escola de Comunicações e Artes (ECA-USP) na linha de pesquisa de Multimeios e área de concentração em Poéticas Visuais, com bolsa CAPES e sob a orientação da profa. Dra. Monica Tavares. Realizou parte de seu doutorado no departamento de arquitetura da Newcastle University sob a supervisão de Martyn Dade-Robertson em Newcastle upon Tyne, Reino Unido. Sua tese foi defendida em 2016 e é intitulada "As correlações entre os sistemas generativos e a fabricação digital no contexto das artes visuais". Vice-líder e Membro do grupo de pesquisa "GP_ADMD - Arte, Design e Mídias Digitais", do Departamento de Artes Plásticas da ECA/USP, do qual participa desde 2008 até o presente. Participou entre 2012 a 2016 do grupo de pesquisa "DIGI FAB - Tecnologias digitais de fabricação aplicadas à produção do Design e Arquitetura Contemporâneos" (FAU-USP), período em que integrou a equipe do FabLab SP, que é um laboratório de fabricação digital na FAUUSP. Se graduou em 2017 do Fab Academy (curso dirigido por Neil Gershenfeld diretor do Center for Bits and Atoms - MIT), que se trata de um curso de treinamento para habilitar as práticas vinculadas a laboratórios de fabricação digital. Membro da Rede FabLab Brasil, uma rede que procura dar suporte aos laboratórios FabLabs no Brasil. É também membro dos grupos de pesquisa internacionais: "Study Group on Color Education (CE)" e "Environmental Colour Design (ECD)", pertencentes à Associação Internacional das Cores (AIC). Atualmente coordena o PortoFabLab no qual promove a correlação entre a produção artística e a experiência estética, criando um diálogo intrínseco entre arte, inovação e novas tecnologias.

cv_lattes

 

Pesquisadores

ALESSANDRA LUCIA BOCHIO

Artista, pesquisadora e professora do Departamento de Artes Visuais do Instituto de Artes da Universidade Federal do Rio Grande do Sul - UFRGS. Doutora em Artes Visuais pela Escola de Comunicações e Artes da ECA/USP. Mestre em Artes pela Universidade Estadual Paulista - IA/UNESP. Bacharel em Artes Plásticas pelo IA/UNESP, Licenciatura Plena em Arte pelo Centro Universitário Belas Artes. Realizou estágio de pesquisa na Université Sorbonne Nouvelle Paris 3, em Paris. Como artista se dedica a trabalhos colaborativos na realização de performances e instalações audiovisuais.

cv_lattes

CRISTIANE PEREIRA DE ALCÂNTARA

Doutora em Artes Visuais pela Escola de Comunicação e Artes da Universidade de São Paulo, USP (2017). Mestre em Artes, pelo Instituto de Artes da Universidade de Brasília, UnB (2005). Designer, com experiência em design gráfico e ênfase no design editorial voltado para o livro. Em 2009 iniciou suas atividades como Professora Efetiva na Faculdade de Arquitetura, Urbanismo e Design da Universidade Federal de Uberlândia. É líder do GEL - Grupo de estudos do livro: design, autoria e o livro independente, vinculado ao Núcleo de Pesquisa em Design da FAUeD, UFU. Em seu doutorado pesquisou a relação entre o design editorial, a autoria e o tema do analógico/digital, voltados à produção do livro, pesquisa que originou a concepção de "O livro por vir".

[www.gelestudosdolivro.tumblr.com]

site pessoal

cv_lattes

DESIRÉE PASCHOAL DE MELO

Doutora em Artes pelo Programa de Pós-graduação em Artes Visuais na Universidade de São Paulo. Realizou Estágio de Pesquisa de Doutorado no Exterior sob orientação de Prof. Dr. Vincent Colapietro (University of Rhode Island e Pennsylvania State University, Estados Unidos) (2019-2020). Atuou como Pesquisadora Visitante no Grupo de Pesquisa Pragmatismo Americano coordenado pela Profa. Dra. Rossella Fabbrichesi (Università degli Studi di Milano, Itália) (2019) e no Grupo de Pesquisa Pragmatismo e Estética coordenado pelo Prof. Dr. Ivo Ibri (PUC-SP) (2017-2018). Membro fundadora da Sociedade Latino Americana de Charles Peirce (2019) e membro da Associazione Pragma (Centro di Studi Filosofici Pragma, Itália (2019). Possui mestrado em Estudos de Linguagens - Semiótica (UFMS); especialização em Imagem e Som (UFMS) e graduação em Artes Visuais (UFMS). Atualmente é professora no Departamento de Arte da Universidade Estadual do Centro-Oeste do Paraná (UNICENTRO), onde desenvolve pesquisas sobre as relações entre processos de criação e fruição à luz do pensamento pragmático de Charles Peirce. Tem experiência nas áreas de Artes , Comunicação e Design, atuando principalmente nos seguintes temas: arte e design, arte e tecnologia, semiótica peirciana e experimentações artísticas.

cv_lattes

FELIPE MERKER CASTELLANI

Artista sonoro e multimídia, pesquisador e professor. Suas pesquisas práticas e teóricas atuais têm como campo problemático a criação musical em relação a outras práticas artísticas, como o vídeo e a dança, especificamente em contextos de criação coletiva e colaborativa. Desenvolve instalações interativas, videoinstalações e performances audiovisuais em parceria com artistas de diversas áreas, como a artista visual Alessandra Bochio, os músicos Rogério Costa e Alexandre Zamith, a bailarina Zélia Monteiro, a performer Leticia Sekito, dentre outros. É mestre e doutor em música na área de Processos Criativos junto ao Instituto de Artes da Unicamp, e bacharel em composição musical pela Faculdade Santa Marcelina. Entre 2013 e 2014 realizou estágio de pesquisa no Centre de recherche Informatique et Création Musicale (CICM), Université Paris 8/ Maison des Sciences de l'Homme Paris Nord. Entre 2017 e 2018 realizou estágio de Pós-doutorado junto ao Programa de Pós-Graduação em Música da Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Participou de eventos nacionais e internacionais dedicados à criação artística experimental, como o Festival Música Nova, o Encontro Internacional de Música e Arte Sonora, o Sonorities Festival (Belfast, Irlanda do Norte), o Festival Sonoimágenes (Buenos Aires, Argentina), a Mostra Arquinterface (Galeria de Arte do Sesi-SP), o Programa de Exposições Individuais do Centro Cultural São Paulo, a Mostra Labmis 2016 (MIS-SP), dentre outros.É membro do Grupo de Pesquisas em Estudos de Gênero, Corpo e Música (IA-UFRGS); do Grupo de Estudos Extremidades: redes audiovisuais, cinema, performance e arte contemporânea (PUC-SP), do Grupo de Pesquisa Escritas e Invenção Musicais (ECA-USP) e líder do Grupo de Pesquisa Corpo-Imagem-Som: Pesquisa Artística e Práticas Experimentais (CA-UFPel).Atualmente é professor adjunto do Centro de Artes da Universidade Federal de Pelotas (UFPel), onde atua nos cursos de bacharelado em Música e Artes Visuais e no Programa de Pós-Graduação (mestrado) em Artes Visuais.

cv_lattes

GILBERTO DOS SANTOS PRADO

Artista e professor, estudou Engenharia e Artes Plásticas na Unicamp e em 1994 obteve seu doutorado em Artes na Universidade de Paris 1 - Panthéon Sorbonne. Tem realizado e participado de inúmeras exposições no Brasil e no exterior como XVI Bienal de São Paulo, (setor: Mail Art, 1981); Welcomet Mr. Halley , Paço das Artes (1985); City Portraits/Art-réseaux, Galerie Donguy (1990); Mutations de l'image, Vidéothèque de Paris (1994); Arte e Tecnologia no MAC-USP (1995), Mediações no Itaú Cultural (1997), City Canibal, no Paço das Artes SP (1998), II Bienal do Mercosul (1999), Link_Age / MECAD, Barcelona; XXV Bienal de São Paulo (Net Arte, 2002); >=4D , CCBB - Brasília (2004); Corpos Virtuais no Espaço Telemar, RJ; Cinético Digital no Itaú Cultural (2005); com o Grupo Poéticas Digitais na mostra Interconnect@ between attention and immersion, ZKM, Karlsruhe - Alemanha (2006); Memória do Futuro, Itaú Cultural (2007); Chain Reaction, Museum of the City of Skopje, Macedonia (2008); Bienal: Arte Nuevo InteractivA '09, Museo de la Ciudad, Mérida, Yucatan, México (2009); Galeria Expandida, Luciana Brito, São Paulo; Emoçao Art.ficial 5.0, Itaú Cultural (2010); EmMeios#3, Museu Nacional da República, Brasília (2011); III Mostra 3M de Arte Digital: Tecnofagias, Instituto Tomie Ohtake, São Paulo (2012); 
IV Festival de Arte e Tecnologia do Recife ? Centro Cultural Correios (2013); Singularidades/ Anotações: Rumos Artes Visuais 1998-2013, Itaú Cultural, (2014); Caixa dos Horizontes Possíveis, Paço das Artes (2014); Singularidades/ Anotações, Paço Imperial Rio de Janeiro (2015); 6th Media Art Biennale WRO 2015, Wroclaw, Polônia (2015); Cibergeografías, Centro Cultural de España de Montevideo (2016); ISEA 2017/16Th Image Festival, Manizales, Colombia (2017); Naturaleza Viva ? Muntref, BIENALSUR, Buenos Aires (2017); Paradoxo(s) da Arte Contemporânea, MAC USP (2018); Exposição individual com o Grupo Poéticas Digitais no Laboratório Arte Alameda, México (2018). Recebeu o 9º Prix Möbius International des Multimédias, Beijin, China, 2001 (Menção Especial), Prêmio Transmídia Itaú Cultural (2002) e o 6º Prêmio Sergio Motta de Arte e Tecnologia, (Grupo Poéticas Digitais), 2006, entre outros. Publicou em 2003 o livro, Arte telemática: dos intercâmbios pontuais aos ambientes virtuais multiusuário, pelo Itaú Cultural. Foi Professor do Instituto de Artes da Unicamp, Professor Convidado da Universidade de Paris 8 e realizou pós-doutoramento na Faculdade de Belas Artes da Universidade Politécnica de Valencia. Atualmente é Professor Senior da Universidade de São Paulo e Professor da Universidade Anhembi Morumbi. Atua nos Programas de Pós-Graduação em Artes visuais da ECA-USP e no PPG Design da UAM. É coordenador do Grupo Poéticas Digitais, trabalha com Arte em Rede e instalações interativas.

[www.poeticasdigitais.net]

site pessoal

cv_lattes

MARIA CECILIA LOSCHIAVO DOS SANTOS

Professora Titular de Design da Universidade de São Paulo e Bolsista de Produtividade em Pesquisa do CNPq. Graduação (1976), Licenciatura (1977), Mestre (1985) e Doutora (1993) em Filosofia pela Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da Universidade de São Paulo. Obteve o título de livre-docente pela Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da USP (2003). Coordenadora Adjunta de Mestrado Profissional da área de Arquitetura, Urbanismo e Design da CAPES, designada pela portaria 175/2016. Orientadora no programas de pós-graduação em Design - FAU - Faculdade de Arquitetura e Urbanismo USP.Presidente do PROCAM ? Programa de Ciência Ambiental, presidente (2012-2013). Presidente da Comissão de Pós-Graduação do Instituto de Energia e Ambiente/USP (2012-2013). Presidente da Comissão de Cultura e Extensão - CCEx do IEE - USP (2011-2012).Pós-Doutorado e professora visitante: University of California, Los Angeles, School of Public Policy and Social Research (1995-1997); Nihon University, Tóquio (1999); Centre Canadien d?Architecture, Montreal (2001), University of California, Los Angeles na School of Public Affairs (2007-2008). Pesquisadora visitante Waseda University, Tóquio (2001); Tokyo Zokey University (2006); Indian Habitat Center, Nova Delhi (2006); Tama Art University (2008), University of Tokyo (2009); Loughborough University (2012); San Francisco State University (2012), University of Boras (2013), University of South Australia (2015) e (2018); Amsterdam University of Applied Sciences (2016); Jönköping University e Träcentrum, Nässö, Suécia, (2017).Membro do Comitê de Ética em Pesquisa da FSPUSP (2007-2013). Membro do Conselho Editorial: Estudos em Design, Design em Foco, Design Philosophy Papers. Exerce atividades de coordenação e assessoria científica nas principais agências de fomento brasileiras, destacando-se seu papel como membro do Comitê de Assessoramento do CNPq e CAPES para a área de Design. Tem experiência na área de Design, com ênfase nos seguintes temas: design, design para a sustentabilidade, design brasileiro, design social, exclusão sócio espacial, moradores de rua, catadores de recicláveis.

site pessoal

cv_lattes

SUZETE VENTURELLI

Pesquisadora artista e professora. Realizou pós-doutorado na Universidade de São Paulo, Escola de Comunicação e Artes (2014); doutorado em Artes e Ciências da Arte, na Universidade Sorbonne Paris I (1988), orientação Bernard Teyssèdre; Mestrado em Esthétique et Science de lArt ­ DEA. Université Paris 1 Pantheon­ Sorbonne, PARIS 1, França (1982) e mestrado (DEA) em Histoire et Civilisations - Université Montpellier III - Paul Valery, França, intitulada Candido Portinari: 1903-1962 (1981). Graduada em Licenciatura em desenho e plástica, Universidade Mackenzie em São Paulo (1978). Desde 1986 atua como professora, artista e pesquisadora da Universidade de Brasília, Instituto de Artes, departamento de Artes Visuais. Foi coordenadora dos cursos de Graduação e pós-graduação em Arte da Universidade de Brasília. Na instituição inicia o Programa de Pós-graduação em Arte em 1991, com área de concentração em Arte e Tecnologia da Imagem. Neste mesmo ano, inaugura o primeiro laboratório dedicado à arte computacional, que passa a ser o Laboratório de Pesquisa em Arte Computacional (Medialab/UnB, parte integrante da rede MediaLab/BR, coordenado por Cleomar Rocha). O espaço funciona como um ateliê para a área, reunindo artistas-pesquisadores de arte computacional. Em 1989, participa da fundação do grupo Infoestética, que é também nome de três exposições, em 1989, 1991 e 1993, apresentadas em Brasília, Espaço expositivo do Senado do Brasil, Museu de Arte Moderna de São Paulo e na Galeria da Universidade Sorbonne, França. Publicou os livros Arte: espaço_tempo_imagem (2004), Imagem Interativa (2008) e Arte Computacional (2017), pela Editora da Universidade de Brasília (Edunb). Organizou e publicou em co-autoria, com François Soulages e Biagio DÂngelo os livros Frontières des Mouvements Autophotobiographématiques (2016); De la photographie au post-digital: Du contemporain au post-contemporain (2017) e Esthétique et connectivité (2018), pela Editora LHarmattan. Sua produção artística, científica e tecnológica envolve a Arte Computacional, Arte e Tecnologia, Realidade Virtual, Mundos Virtuais, Animação, Arte digital, Ambientes Virtuais, Sound Art e Imagem Interativa. Coordena os Encontros Internacionais de Arte e Tecnologia (#ART). Em 2004, concebe F69, um gamearte apresentado na Bienal Internacional de Arte e Tecnologia, Emoção Art.ficial 2.0.Faz curadoria de exposições, como Cinético_Digital (2005) no Itaú Cultural em São Paulo, ao lado de Mônica Tavares (2005); Humano_pós_Humano ,o Centro Cutural Banco do Brasil (2005), Seconde Nature com obras de Miguel Chevalier (2010), no Espaço Cultural Marcantônio Villaça, Brasília. Visual Music, no Centro Cultural Banco do Brasil (2016). Alguns prêmios recebidos foram: XPTA_LAB, Ministério de Cultura e Sociedade dos Amigos da Cinemateca; Prêmio Festival latino americano e africano de arte e cultura; Prêmio Funarte de Arte Contemporânea; Prêmio Rumos Arte Cibernética com trabalhos de Iniciação Científica. Recebeu apoio para realização de projetos e eventos por meio de vários editais de fomento à pesquisa do CNPq, Fapdf, Capes, Funarte. Atualmente é Professora Titular da Universidade de Brasília (UnB) e Professora da Universidade Anhembi Morumbi. (UAM) Atua nos Programas de Pós-Graduação em Artes visuais da UnB e no Programa de pós-graduação em Design da UAM, área de concentração Design, Arte e Tecnologia. Atualmente é bolsista do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) nível 1B.

cv_lattes

 

Estudantes

ANA CAROLINA BRAGA NETO

Mestranda em Artes Visuais da ECA/USP

cv_lattes

ANDRÉ LUÍS CASTILHO PITOL

Doutorando em Artes Visuais da ECA/USP

cv_lattes

CARLOS HENRIQUE NUNES COSTA

Mestrando em Artes Visuais da ECA/USP

cv_lattes

EDUARDO SILVA SALVINO

Doutorando em Artes Visuais da ECA/USP

cv_lattes

PRISCILA DUARTE GUERRA

Doutoranda em Artes Visuais da ECA/USP

cv_lattes